Hidrogenio verde e o combustivel do futuro
eusebio junino

Defesa de Wellington Macedo aceita fazer delação com CPMI do 8 de janeiro

Wellington Macedo foi condenado a seis anos de prisão em regime fechado

(Foto: Bruno Spada/Câmara dos Deputados)

21/09/23 16:56

Síldilon Maia Thomaz do Nascimento, advogado de Wellington Macedo, informou que a defesa não tem nenhuma restrição ou limitação para fechar um acordo de delação premiada com a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de janeiro. Fala ocorreu durante depoimento do blogueiro cearense na CPMI, nesta quinta-feira (21), em Brasília.

Participe do grupo do CN7 no WhatsApp

Wellington Macedo foi condenado a seis anos de prisão – em regime fechado – e multado no valor de R$ 9,6 mil por participar da tentativa de explosão de uma bomba próximo ao aeroporto de Brasília, em dezembro do ano passado, durante os atos terroristas de 8 de janeiro. Atualmente, o blogueiro cearense está preso.

Durante o depoimento na CPMI, nesta quinta, Wellington Macedo ficou em silêncio, amparado por um habeas corpus obtido junto ao Supremo Tribunal Federal (STF). “Eu vou colaborar a partir do momento em que meus advogados tiverem acesso aos autos acusatórios contra mim. Até hoje, não sei por que tenho pago um preço tão alto e por que tenho sido alvo de tanta acusação”, disse o blogueiro.

Diante do silêncio do blogueiro, a relatora e entendendo que Wellington não agiu sozinho, a relatora Eliziane Gama (PSD-MA) propôs uma delação premiada. Corroborado pelo Ministério Público (MP), o instrumento pode ser uma opção jurídica enquanto meio de obtenção de prova.

Inscreva-se no canal do CN7 no Telegram

Diante da proposta, o advogado do blogueiro, Síldilon Maia, que acompanhava Wellington durante a oitiva, informou que a defesa não tem nenhuma restrição ou limitação para discutir o assunto com a Advocacia do Senado. No entanto, pediu um prazo até semana que vem para esperar uma decisão do STF. Segundo ele, foram apresentadas ações no âmbito da Corte pedindo acesso aos autos do processo.

Assista ao depoimento completo:

LINKS PATROCINADOS