Hidrogenio verde e o combustivel do futuro
eusebio junino

Três açudes sangram após mais de uma década e Ceará registra 51 acima da capacidade

Outras bacias hidrográficas da região norte do Estado mantém ótimo nível volumétrico

Foto: Thiago Rodrigues

09/04/24 10:10

A quadra chuvosa continua positiva para o Ceará em 2024. Neste fim de semana, quatro açudes interromperam a marca de mais de uma década sem sangrar: Poço do Barro (Morada Nova), Carmina (Catunda), Caxitoré (Umirim) e Edson Queiroz (Santa Quitéria). Com isso, o número total aumentou para 51 reservatórios vertendo atualmente. Desde julho de 2009 sem ultrapassar seu volume máximo de 52 milhões de m³, o Poço do Barro é o 5º da sub-bacia do Banabuiú a sangrar em 2024. Tem importância para a perenização do riacho Livramento, em um trecho de cerca 45 km, e para irrigação e dessedentação animal.

Siga o canal do CN7 no WhatsApp

O Carmina (13,1 milhões de m³) também não vertia há 15 anos, sendo da região do Acaraú, que está em situação muito confortável, com 94,3% de suas reservas hídricas. Na mesma bacia, o Edson Queiroz (254 milhões de m³) sangrou pela última vez em 2011, abastecendo a sede de Santa Quitéria e outros distritos próximos. Além destes, o Caxitoré, na Bacia do Curu, iniciou a sangrar nesta segunda-feira (8) depois de 15 anos, passando do volume total de 202 milhões de m³, atendendo a sede de Umirim e perenizando o rio Curu no segundo semestre.

Inscreva-se no canal do CN7 no Telegram

Outras bacias hidrográficas da região norte do Estado mantém ótimo nível volumétrico, com o Coreaú em 98% e o Litoral com 99,7%.

LINKS PATROCINADOS