X
Sete dias por semana sem medo da notícia!
Presos em Pernambuco bandidos que assaltaram e explodiram banco em Santana do Cariri
Cerco da Polícia na divisa entre Ceará e Pernambuco resultou também na apreensão de armas, munições e veículos usados pela quadrilha no ataque ao banco. Um dos criminosos morreu durante confronto com as autoridades
Os dois assaltantes foram presos na zona rural de São José de Belmonte (PE)

Uma operação conjunta das Polícias Militares do Ceará e Pernambuco resultou na prisão de dois bandidos suspeitos de serem integrantes de uma quadrilha interestadual de assaltantes de bancos. Os dois são acusados de terem participado do ataque à agência do Banco do Brasil da cidade de Santana do Cariri (550 km de Fortaleza), na madrugada do último sábado (3).

O cerco policial aconteceu na zona rural do Município de São José do Belmonte, no Interior de Pernambuco, no limite com o Município de Jati, no Ceará. Patrulhas do 8º BPM/PE cercaram os criminosos em uma mata com o apoio de equipes da Companhia Independente de Operações e Sobrevivência na Área de Caatinga (Ciosac).

Foram presos no cerco policial os bandidos pernambucanos identificados como Joaquim Esmerindo dos Santos Neto, 33 anos; e Cláudio Barbosa dos Santos, 40, ambos naturais da cidade de Serra Talhada (PE). Com eles, a Polícia apreendeu quatro armas de fogo, sendo dois revólveres de calibre 38, uma pistola calibre 9 milímetros e uma de calibre Ponto 40 (.40), além de muita munição de reserva e drogas.

Bandido morto

Também foram apreendidos quatro veículos usados pela quadrilha no ataque à cidade de Santana do Cariri na madrugada de sábado passado: um Corolla azul, placas PDO-0979 (PE), um Ecosport branco placa PGZ-9440 (PE); um Ford Ka branco placa PYY-8823 (MG), e um Uno Way placa NUN-7389 (CE).

De acordo com a Polícia pernambucana, já são três os criminosos identificados, sendo dois presos e um que morreu num confronto com a Polícia ainda no sábado durante a fuga dos assaltantes. Tratava-se do pernambucano Marcos Antônio de Souza, 29 anos, natural do Exu (PE).

Durante o ataque em Santana do Cariri, várias pessoas foram mantidas como reféns da quadrilha e obrigadas a formar um escudo humano para que a Polícia não se aproximasse da agência do BB onde os criminosos haviam colocado explosivos nos caixas eletrônicos e no cofre-forte, na tesouraria. Na fuga, o bando levou alguns reféns, que foram, depois, soltos em uma estrada.  Em um carro abandonado pelos ladrões, os policiais encontraram um fuzil, uma espingarda e muita munição.

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também