Sete dias por semana sem medo da notícia!
Pelos três últimos, Clássico-Rei tem média de cinco cartões amarelos por jogo
Partida com mais cartões foi o 1 x 1 pela sexta rodada da Copa do Nordeste
Foto: Reprodução / Internet

A vitória do Fortaleza sobre o Ceará no primeiro jogo da final do Campeonato Cearense foi eletrizante, mas com aplicação de muitos cartões. O CN7 fez, então, uma comparação entre a partida e os dois Clássicos-Rei antes do que foi realizado ontem (14), no Castelão.

O duelo de ontem, o qual o Tricolor bateu o Alvinegro por 2 x 0, com dois gols de Edinho, contou com aplicação de cinco cartões amarelos: três para o time do Pici (Carlinhos, Felipe e Osvaldo) e dois para a equipe de Porangabuçu (Tiago Alves e Juninho). Duas expulsões também ocorreram: Júnior Santos, atacante do clube vitorioso, e Thiago Carleto, lateral-esquerdo do Vovô.

Já na partida válida pela sexta rodada do Campeonato Cearense, realizada no dia 10 de março, também na Arena Castelão, e primeiro Clássico-Rei de 2019 (0 x 0), houve equilíbrio com a bola nos pés e também na distribuição de cartões. Foram apenas três amarelos, dois para o Fortaleza (Carlinhos e Felipe), que era o mandante, e apenas um para o Ceará (Leandro Carvalho).

Mas a partida deste ano com recorde de polêmicas dentro das quatro linhas foi o 1 x 1 pela sexta rodada da Copa do Nordeste. O Alvinegro de Porangabuçu recebeu cinco amarelos (Roger, Felipe Baxola, Leandro Carvalho, Juninho e Samuel Xavier) enquanto o Leão levou dois (Felipe e Osvaldo). Quanto às expulsões, Leandro Carvalho foi a figura do Ceará, e Derley do Fortaleza.

Logo, o Clássico-Rei possui uma média de cinco cartões amarelos por partida, enquanto a dos vermelhos ficou em 1,3.

Publicidade
Mais Lidas