sete dias sem medo da notícia
Mota indica nome ligado a ex-secretário de Estado para investigar propina a Cid
O presidente da OAB/CE, Marcelo Mota, e o ex-governador do Ceará, Cid Gomes
Por : Redação CN7
26/05/17 9:20

O Ceará News 7 noticiou na quinta-feira (25) que o presidente da OAB/CE, Marcelo Mota, baixou portaria autorizando investigação do repasse de propina da JBS ao então governador do Ceará, Cid Gomes. O dinheiro teria sido usado na campanha política de 2014.

Mas advogados inscritos na Ordem estão achando estranho que Marcelo tenha indicado três conselheiros de sua confiança para averiguar o caso. Entre eles, encontra-se Eduardo Pragmácio de Lavor Telles Filho, filho de sócio do advogado Hélio Leitão, “que recentemente estava à frente da Secretaria de Justiça do Governo do Estado”, como apurou a Revista Ceará.

Ainda segundo o site, “advogados afirmam que a referida nomeação é, no mínimo, inadequada para um trabalho que deve ser totalmente imparcial e que o presidente da Ordem fez questão de indicar três Conselheiros, ligados a sua pessoa, para manter o controle das investigações ao rolar do processo, livrando futuramente o ex-governador Cid Gomes”.

Entenda

Em delação à Operação Lava Jato, um dos donos da JBS, Wesley Batista, acusou Cid Gomes de ter pedido R$ 20 milhões em propina para serem usados na campanha de 2014. Segundo o empresário, esse valor só seria negociado após o ex-governador pagar R$ 110 milhões que devia à companhia, por meio do Fundo de Desenvolvimento Industrial (FDI).

O presidente da OAB/CE ainda é criticado por ter baixado uma portaria de investigação sobre o caso, depois de pressão da classe dos advogados, sem citar o nome do ex-governador cearense, tratando nominalmente apenas os envolvidos na delação da JBS no âmbito nacional.

LINKS PATROCINADOS