sete dias sem medo da notícia
FGs encomendam pesquisa para saber se Cid é mais viável que Camilo em 2018
Cid Gomes e Camilo Santana
Por : Redação CN7
07/11/17 11:48

Os irmãos Ferreira Gomes sempre jogam juntos e são competentes na arte de conquistar seus objetivos eleitorais. No atual momento político, o velho cacique Ciro Gomes intensifica suas viagens pelo Brasil, com o intuito de melhorar seu desempenho nas pesquisas. Nos bastidores, trabalha junto a petistas influentes, como o ex-governador Jacques Wagner, para receber o apoio do PT a sua candidatura, se Lula desistir do Planalto. Ciro sabe que Lula será preso e se a prisão demorar a sair, o ex-presidente não terá condições de entrar na corrida eleitoral. Sem Lula, Ciro chega ao segundo turno. Dentro desse cenário, Ciro quer rifar a candidatura do governador Camilo Santana e impor o nome do irmão, Cid Gomes, para concorrer ao Governo do Ceará.

Pesquisa

O Instituto Optimus está no Cariri fazendo uma ampla pesquisa de opinião. Deve ser consultada a população dos nove municípios da região metropolitana, sobre os cenários eleitorais para 2018. A pesquisa já está dando o que falar, principalmente, pelas especulações sobre a aliança entre Camilo e Eunício Oliveira. Vários cenários estão sendo sondados, entre eles, uma chapa da oposição sem Tasso e Eunício, tendo a frente Capitão Wagner e Roberto Pessoa. Além dessa pergunta, a pesquisa quer apurar como andam as pré-candidaturas presidenciais e os potenciais deputados estaduais e federais. Outro cenário examinado desagrada o Abolição: Camilo concorreria ao Senado e Cid disputaria o Governo. O resultado dessa enquete é esperada com ansiedade. Quando estiver pronta, a pesquisa seguirá direto para as mãos dos irmãos Cid e Ciro Gomes, que encomendaram essa avaliação.

Cid não quer Brasília

Não é segredo de nenhum cearense que Cid não gosta de Brasília e nem sente vontade de ser senador da República. Gosta de ocupar um cargo no Executivo. Nada de função pública no Legislativo, onde sua voz demora a ser ouvida num parlamento que respeita os mais antigos. Sabe também que tem muitos processos sobre a Lava Jato o envolvendo, e quanto mais distante da Capital Federal estiver, melhor. Também está ciente de que assumindo em 2019, habitará o baixo clero por longos anos. Por tudo isso, Cid preferiria ser governador novamente, cargo que também tem a proteção de só ser processado num tribunal superior, o STJ. Agora, Cid não assume esse plano, pois sabe que a vaga é de Camilo, e se quiser atropelá-lo, corre o perigo da sua família ser enxotada do comando do Estado. Sua estratégia é fazer o próprio Camilo desistir e apoiá-lo.

Camilo bem

Camilo mudou de atitude e tem declarado que não há hipótese de desistir de sua reeleição, descartando ter compromisso com Cid para ficar apenas quatro anos no poder. Por direito, o Governador pode disputar um novo mandato e, como vem fazendo um governo bem avaliado pelo povo do Ceará, segundo pesquisas que estão em suas mãos, não tem motivos para abrir mão de enfrentar as urnas novamente no ano que vem. Outra vantagem de Camilo é estar bem com os oposicionistas senadores Eunício Oliveira e Tasso Jereissati. É até um erro chamar hoje a dupla de oposição, pois ambos estão alinhados com o Abolição. Eunício teria fechado uma aliança para ser um dos senadores na chapa de Camilo, ao lado de Cid, e Tasso, em uma visita à Residência Oficial, anunciou não ser candidato a nada em 2018, favorecendo a estratégia do Governador de isolar as pretensões de Cid.

Confira mais notas de Donizete Arruda no Jornal do Cariri desta semana

LINKS PATROCINADOS