Sete dias da semana sem medo da notícia

Empresário será julgado pela morte da namorada. Ele injetou morfina na garota
Depois do crime, o suspeito abandonou o corpo da namorada no porta-mala do seu carro
O casal usava droga injetável e a garota acabou tendo uma overdose
Por: Fernando Ribeiro
08/11 12:38

Uma história de amor e drogas que teve um fim trágico vai agora parar nas barras da Justiça. O empresário cearense Gregori Donizetti vai sentar no banco dos réus sob a acusação de ter assassinado sua namorada, a universitária Yrna de Souza Castro. O crime aconteceu em Fortaleza em maio de 2016. A decisão do réu ser levado à Júri partiu do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará nesta quarta-feira (7).

O empresário teria injetado morfina na namorada. Os dois consumiam a droga desta forma e no dia do crime  estavam no apartamento dele quando passaram a injetar a droga. A estudante desmaiou. Desesperado, ele teria tentado socorrê-la, mas ao perceber que Yrna estava morta a colocou no porta-malas de seu carro. O corpo foi encontrado no estacionamento do prédio.

Em julho do ano passado, o Ministério Público do Estado (MPCE) denunciou ‘Greg’, por homicídio doloso. A promotora Joseana França considerou que o acusado assumiu o risco de matar a namorada, quando aplicou duas doses de morfina na jovem.

Segundo a denúncia, a estilista Yrna Castro, de 27 anos, morreu na madrugada do dia 1º de maio de 2016, depois de fazer uso de uma droga injetável, junto com o então namorado, Gregório Donizetti, da mesma idade.

O corpo da jovem foi encontrado pela polícia no porta-malas do carro dele. Após quase um ano de investigações, Gregório foi indiciado por ocultação de cadáver e homicídio culposo – quando não há intenção de matar.  A data do julgamento não foi ainda definida.

 

 



*Publicidade

Publicidade


Leia Também

Links Patrocinados