Sete dias por semana sem medo da notícia!
Três mulheres são mortas no Ceará em 24 horas. Total de crimes do gênero chega a 86
Os assassinatos aconteceram em Fortaleza e nas cidades de Iguatu e Juazeiro do Norte
Rabecão recolheu corpo de jovem, morta, ontem à noite, no bairro Couto Fernandes
Ouça a matéria

Subiu para 86 o número de mulheres assassinadas no Ceará em 2020. Nas últimas 24 horas, ao menos, três mulheres foram mortas em atos de extrema violência. Dois casos aconteceram no interior e o terceiro em Fortaleza. Uma jovem de 24 anos está entre as vítimas. Ela foi executada, a tiros, na noite desta segunda-feira (30), na Capital.

O crime ocorreu por volta de 22 horas, no bairro Couto Fernandes. Moradores da Travessa Castanhola estavam em suas casas, cumprindo a quarentena decretada pelo governo, quando foram surpreendidos por estampidos vindos da rua. Minutos depois, o corpo da jovem Karen Rios de Melo, 24 anos, foi encontrado sem vida e crivado de balas na cabeça, rosto e no peito.

Conhecida na comunidade como “Kaká da Bela Vista”, Karen seria integrante de uma facção criminosa, segundo os moradores, Sua morte teria sido um “acerto de contas” na guerra entre grupos criminosos que atuam naquela região da cidade, entre os bairros Porangabuçu, Bela Vista, Parque Araxá e Couto Fernandes.

Crime em Juazeiro do Norte

Em Juazeiro do Norte, na Região do Cariri (Sul do estado), uma mulher foi assassinada, a tiros, no bairro Campo Alegre. A diarista Maria Rejane dos Santos, 41 anos,  ex-presidiária, foi executada por dois homens que invadiram sua residência, localizada na Rua Professora Vaneida Soares, na noite do último domingo (29).

De acordo com a Polícia, Maria Rejane tinha uma longa ficha criminal e, atualmente, estava em regime de liberdade condicional, cumprindo medida cautelar através do uso de uma tornozeleira eletrônica, depois de sair da cadeia.

Crime em Iguatu

O terceiro crime foi registrado na cidade de Iguatu, na Região Centro-Sul do estado (a 414Km de Fortaleza). Na tarde desta segunda-feira (30), populares avistaram urubus circulando em um matagal nas margens da Avenida Juscelino Kubitschek, no bairro Esplanada, e logo ficaram curiosos, pois a cena não é comum ali.

Logo, o corpo de uma mulher, em começo de estado de decomposição, foi encontrado e a Polícia Militar acionada.  A mulher estava despida e as roupas rasgadas próximas ao corpo, o que levou a Polícia a acreditar em um crime sexual.

A vítima foi identificada como Sirlânia Ferreira Lima, que estava desaparecida desde a tarde do último sábado (28).  Familiares reconheceram o corpo no local e, em seguida, se dirigiram à Delegacia Regional da Polícia Civil para serem ouvidos em depoimento pelo delegado Ariel Alves, que também esteve no local e acompanhou o trabalho da Perícia Forense (Pefoce).

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também