sete dias sem medo da notícia
Travesti é assassinado com tiros à queima-roupa na sede do Sine-IDT de Itaitinga
"Jennifer" foi executada com vários tiros à queima-roupa
Por : Redação CN7
09/05/17 13:47

 

Mais um caso de assassinato de travesti está sendo investigado pela Polícia no Ceará, com suspeita de crime provocado por homofobia. O caso ocorreu na tarde desta segunda-feira (9) nas dependências do escritório do Sine/IDT (Sistema Nacional de Emprego/Instituto de Desenvolvimento do Trabalho) da cidade de Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Conforme testemunhas, dois homens invadiram o local usando capacetes e foram até uma sala de atendimento onde estava o jovem Jéferson Kauã Holanda, 24 anos, que era conhecido por “Jennifer”. Naquele momento, ele estava preenchendo um formulário de emprego, quando foi surpreendido e morto com vários tiros na cabeça.

Para a Polícia o crime foi de execução sumária, pela quantidade de tiros disparados e a forma como os criminosos agiram. Nada foi roubado da vítima, o que, a princípio, descarta a hipótese de um caso de latrocínio (roubo seguido de morte).

Investigação

Duas linhas de investigação estão sendo consideradas pela Polícia. A primeira, seria uma vingança, pois o travesti havia registrado um Boletim de Ocorrência (B.O.) em que denunciou, recentemente, ter sofrido de preconceito e ameaças homofóbicas.  A pessoa denunciada será investigada.

Outra hipótese diz respeito à suspeita de que “Jennifer” teria participado de um crime de roubo no modo do golpe “Boa-Noite Cinderela”, isto é, teria topado um homem e roubado todo o seu dinheiro.

Testemunhas contaram que dois homens chegaram de moto no escritório do Sine/IDT de Itaitinga, na Rua Ana Amélia de Sousa/Centro, e um deles entrou no prédio indo até a sala onde o travesti se encontrava. Se certificou que “Jennifer” estava ali.  Em seguida, voltou até onde comparsa estava. Os dois invadiram novamente o local, entrando na sala de atendimento e já dispararam os tiros à queima-roupa contra a vítima, que teve morte instantânea.

Veja os casos de travestis mortos no Ceará neste ano:

1 – (12.02) Hérika Izidório – Espancada e jogada do alto de uma passarela localizada na Avenida José Bastos, morreu semanas depois no IJF-Centro.

2 – (20.02) – Antônio Cleílson Ferreirade  Vasconcelos, a “Dandara”, morreu após sofrer espancamentos e tiros e ser arrastada por ruas do bairro Bom Jardim.

3 – (19.04) – Antônio Cristiano da Silva, a “Priscilla”, agredido a pauladas e chutes na Avenida Juscelino Kubisthchek, no bairro Castelão. Morreu dias depois no IJF-Centro.

4 – (8.05) – Jéfferson Kauã Holanda, a “Jennifer”, morta a tiros dentro do escritório do Sine/IDT na cidade de Itaitinga.

 

LINKS PATROCINADOS