Sete dias por semana sem medo da notícia!
Tasso declara que Bolsonaro deve ficar quieto para não atrapalhar reforma
Senador sugere adiamento de medidas polêmicas até aprovação
Tasso Jereissati

O senador Tasso Jereissati (PSDB) declarou em entrevista a Folha de S. Paulo desta segunda-feira (12) que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) deve ficar quieto para não atrapalhar a tramitação da Reforma da Previdência e evitar atritos.

Tasso defende que o governo adie medidas polêmicas até a aprovação da reforma, inclusive a indicação do filho do presidente – deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) – para a embaixada em Washington. Segundo o senador, a relação do governo com o Congresso é “horrorosa”.

“É absolutamente claro que o presidente tem uma tendência autoritária. Por isso é que temos que ter muita cautela em conduzir, criar e evitar crises no país. Precisa ter cautela para preservar os Poderes para que esse equilíbrio não seja quebrado. O homem está eleito.

E parece que ele não melhora, só piora. É só notar do recesso [de julho] para cá. Ele disparou uma quantidade de frases absurdas.

E impeachment, não existe essa palavra mais. Então, vamos ter que conviver com ele. O país não aguenta mais um terceiro impeachment. Votei pelo impeachment de Dilma, mas tenho que reconhecer que nós ainda estamos pagando um preço por isso”, ressaltou.

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também