sete dias sem medo da notícia
Proprietário de veículo e dono de oficina são indiciados por incêndio em posto
Por : Redação CN7
21/03/17 20:10

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) concluiu o inquérito policial sobre a explosão ocorrida em um posto de combustível, em dezembro de 2016, no bairro Monte Castelo.

Dois homens foram indiciados por dano ao patrimônio por meio de explosão. O procedimento, concluído nessa segunda-feira (20), foi finalizado, com base no laudo elaborado pela Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) sobre o caso, e remetido à Justiça.

O posto de combustível onde aconteceu o acidente fica localizado na Avenida Sargento Hermínio. A explosão, ocorrida no dia 26 de dezembro do ano passado, se deu durante o abastecimento de Gás Natural Veicular (GNV) em um Corolla de placas POE 6560 (utilizado como táxi). Ninguém saiu ferido.

No momento da explosão, o motorista não estava no transporte. O laudo pericial aponta que o acidente foi ocasionado por falha no cilindro de GNV do carro, que estava inadequado para uso. O documento foi elaborado com o apoio do Laboratório de Caracterização de Materiais (Lacam), da Universidade Federal do Ceará (UFC).

De acordo com o perito Lauro Ferreira Rocha, supervisor do Núcleo de Perícias em Engenharia Legal e Meio Ambiente da Pefoce, o trabalho pericial consistiu em exames feitos no local, coleta de vestígios e solicitação de análises laboratoriais, entre outros procedimentos. Foram feitos exames no cilindro e na válvula do equipamento. Após a conclusão do laudo, o mesmo foi enviado ao 1º Distrito Policial – responsável pelas investigações sobre o caso.

Da análise da quebra do cilindro, constatou-se a presença de solda, o que é proibido pelas normas vigentes. “A solda fragiliza o material uma vez que a zona térmica afetada facilita a propagação de trincas”, explica o perito. No caso, o cilindro, quando foi submetido à alta pressão de serviço da utilização do GNV, não suportou a pressão e se rompeu em uma explosão.

Ainda nas conclusões do laudo, não foi possível constatar a que pressão se encontrava o sistema do posto no momento da explosão, mas tanto o compressor como o dispenser encontravam-se calibrados para acionarem os seus dispositivos de segurança e alívio na pressão de 250bar (unidade de medida de pressão).

Os indiciados como responsáveis pelo fato são o proprietário do veículo e o dono da oficina mecânica onde o cilindro foi soldado. As investigações sobre o caso foram realizadas pelo 1º DP – que responde pela área onde se deu o fato.

LINKS PATROCINADOS