sete dias sem medo da notícia
Promotora de Justiça dá parecer para que ladrões de bancos presos sejam soltos
O grupo era formado por vigilantes de um carro-forte e furtou cerca de R$ 700 mil
Por: admin
09/09/20 8:34

Um parecer do Ministério Público do Estado do Ceará pegou de surpresa as autoridades da Segurança Pública local. Com menos de 24 horas após  a prisão de uma quadrilha que furtou cerca de R$ 700 mil e simulou um ataque com incêndio na agência do Bradesco em Aratuba (a 122Km de Fortaleza), uma promotora de Justiça de plantão deu parecer favorável para que a Justiça ponha em liberdade os suspeitos. O bando era formado por quatro vigilantes de um carro-forte.

O parecer foi assinado pela promotora de Justiça, Alessandra Gomes Loreto, de plantão no 7º Núcleo Regional do MP, na Capital, no mesmo dia dao conclusão do flagrante (7). Em um documento de duas páginas, ela alega que “o crime foi cometido sem violência ou grave ameaça à pessoa, mas tão somente ao patrimônio. Logo, não há justificativa para a constrição cautelar (prisão) dos implicados no crime”.

Os quatro homens presos são vigilantes e trabalhavam em um carro-forte de uma empresa de segurança privada responsável por abastecer os caixas eletrônicos em agências bancárias na Capital e no Interior. Na sexta-feira passada(4) eles teriam recebido a missão de repor dinheiro nos caixas do Bradesco de Aratuba. No entanto, colocaram nos equipamentos apenas uma pequena parcela de notas e furtaram mais de R$ 700 mil.

Para apagar as pistas do furto, eles voltaram à agência na noite de domingo (6), furtaram o restante do dinheiro sem precisar explodir os caixas e incendiaram o banco. O prédio ficou destruído pelo fogo. Mas, durante um cerco da Polícia na região, os quatro foram presos e parte do dinheiro e das armas do bando foi apreendida pela Polícia Militar na residência dos suspeitos, em Fortaleza.

Prisão da quadrilha

O cerco aos suspeitos e a prisão foram efetuados por patrulhas dos batalhões de Comando Tático Rural (BP/Cotar) e Comando Tático Motorizado (BP/Cotam), ambos pertencentes  ao Comando de Policiamento Especializado de Choque (CPE-Choque).  A quadrilha foi encaminhada à Delegacia de Policia Civil de Baturité e autuada em flagrante.  Armas, dinheiro, munição e um veículo usado no crime foram apreendidos.

No mesmo dia em que foi lavrado o flagrante contra a quadrilha, na segunda-feira, dia 7 de Setembro, feriado, a promotora de Justiça Alessandra Gomes Loreto emitiu o parecer e o encaminhou à Justiça opinando pela concessão da liberdade provisória para o bando, com imposição de medidas cautelares.

Os quatro vigilantes presos foram identificados como Rômulo César Martins da Silva, Francisco Antônio da Silva, Alexandre Vieira dos Santos e Bruno Matos Queiroz. Um deles está internado, sob escolta policial, no IJF-Centro, por ter sofrido queimaduras no incêndio na agência. Os demais seguem detidos na carceragem do Complexo das Delegacias Especializadas (CODE), em Fortaleza.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
LEIA TAMBÉM