Sete dias por semana sem medo da notícia!
Prefeitura de Granja incia construção de casas para famílias em regiões vulneráveis
Ouça a matéria

A Prefeitura Municipal de Granja iniciou a primeira fase da construção de casas populares do projeto habitacional municipal Moradia Segura, dedicado exclusivamente às famílias em situação de vulnerabilidade e risco social, atingidas por alagamentos durante as fortes chuvas do ano de 2019.

O projeto é o primeiro realizado na história da cidade, com aplicação exclusiva de recursos próprios municipais na ordem de mais de R$ 1 milhão. A conclusão prevê que 52 famílias residentes em bairros historicamente afetados pelas cheias do Rio Coreaú e seus afluentes serão contempladas.

O deputado estadual Estadual Romeu Aldigueri (PDT), que possui grande representatividade de votos na região, explica que a prefeitura cumpriu seu compromisso com a população granjense, deixando de realizar o carnaval tradicional da cidade para investir em ações de prevenção contra as cheias, dragando e drenando córregos e riachos. “Como resultado das ações, não houve transbordamento neste ano, mesmo com inverno mais intenso do que ano passado”, destaca o parlamentar.

Segundo a prefeita Amanda Aldigueri (PDT), todas as famílias beneficiárias estão devidamente identificadas e cadastradas “considerando critérios socioeconômicos e extrema pobreza, além de pareceres técnicos que tratam das áreas de risco e os procedimentos adotados no ano passado com desalojados.”

Dique para contenção das cheias

Em novembro de 2019, a Prefeitura, por meio do Deputado Estadual Romeu Aldigueri, levou ao Governador Camilo Santana um projeto para a construção do Dique tenção das cheias do Rio Coreaú. Com isso, o município conseguiu o aval do governador que já abriu o MAPP – Monitoramento de Ações e Projetos Prioritários – para licitar a obra.

“As ações conjuntas – construção do dique e das novas casas para famílias e situação de vulnerabilidade – permitirão que dezenas de famílias tenham maior segurança, bem como acabará com as áreas de risco na cidade, o que contempla toda a população granjese”, explica Amanda.

Confira cliques

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também