Hidrogenio verde e o combustivel do futuro
eusebio junino

Prefeito Zé Ailton faz pressão para elucidar crime de suplente de vereador

Coluna Rebate

14/05/24 9:35

O prefeito Zé Ailton Brasil está liderando uma forte mobilização no Crato, para que seja elucidado o bárbaro crime do suplente de vereador Erasmo Morais, morto com 47 tiros. Zé Ailton Brasil, ao comentar a execução, declarou que “foi um assassinato covarde. Já me solidarizei com todos os familiares. Quem me conhece sabe que até hoje fui incapaz de qualquer ato de violência”. Esclareceu ter ligado para o governador Elmano Freitas e, duas vezes, para o secretário de Segurança Pública do Estado, Samuel Elânio, cobrando agilidade nas investigações e pressa para que fossem presos os executores e os mandantes. “Sobre a oposição levantar suspeitas que o assassinato possa ter conotação política, o prefeito Zé Ailton é enfático: “Estou muito tranquilo quanto a essa questão. Quanto a Erasmo ser da oposição, a oposição tem que existir, ela ajuda a consertar os erros do Governo”. Destacou que em nenhum momento a atuação de Erasmo Morais chegou a incomodá-lo. Todavia, se revoltou ao acusar a oposição de agir “de uma forma irresponsável, agressiva, ao fazer insinuações, seja no parlamento estadual ou aqui…o Crato nunca se utilizou desses métodos políticos. O Crato sempre foi uma cidade pacata”. E reagiu, indignado, contra as insinuações do assassinato por questões políticas: “Eu tenho mãe, tenho filhos, tenho responsabilidade. Meu filho, para ir pra aula na semana passada, teve que ir com segurança, porque não tinha coragem de ir sozinho.”

Mistério mantido sobre 2º turno em Juazeiro

A dúvida sobre o segundo turno das eleições em Juazeiro permanece. Ao comentar, nesta segunda (13), sobre os números finais para o segundo turno, o chefe do Cartório Eleitoral, Wendell Freire, declarou não ter nenhuma novidade. Disse que a Justiça Eleitoral continua contabilizando os novos títulos dos eleitores. Segundo Wendell, a previsão, agora, sobre ter ou não segundo turno, está adiada. Qualquer anúncio ocorrerá até o final de maio. Na última contagem que vimos no TRE, em Juazeiro do Norte, ainda faltam 105 títulos para o município ficar apto. Essa definição é aguardada por todas as forças políticas de Juazeiro do Norte. O desenho dos cenários eleitorais muda conforme seja a decisão de que Juazeiro será ou não a terceira cidade cearense a alcançar os 200 mil eleitores, e ter segundo turno. No site do TRE há, hoje, 199.896 eleitores. O presidente do TRE-Ceará, desembargador Raimundo Nonato, deve avocar esse anúncio. É a garantia que esse trabalho de alistamento eleitoral será concluído sem erros. E o mistério sobre segundo turno continua.

Candidatura de Davi depende do 2º turno

Há dois mistérios nas eleições de Juazeiro do Norte. O primeiro é saber se o Município alcançou os 200 mil eleitores, e terá segundo turno. Hoje, essa possibilidade é improvável. Está faltando 105 novos eleitores, e o anúncio final ainda deve demorar umas duas semanas, de acordo com o chefe do Cartório de Juazeiro, Wendell Freire. O segundo mistério é a decisão do deputado Davi Macedo sobre sua candidatura a prefeito. A princípio, se tiver segundo turno, Davi disputa contra o prefeito Glêdson e o deputado Fernando Santana. Agora, se houver só um turno em Juazeiro, a tendência é Davi Macedo desistir para apoiar à candidatura de Fernando Santana, como quer o ministro da Educação, Camilo Santana. Davi Macedo confessou ter se reunido com Camilo e Fernando Santana para decidir seu destino eleitoral. Não foi possível chegar num consenso, após uma longa reunião. O impasse persistiu. Na mesa de negociações, Davi Macedo pediu a vaga de vice-prefeito para sua mãe, Mariele, o apoio a sua candidatura à Assembleia do Ceará, e três secretarias: Educação, Ação Social e Romarias. Como não houve acordo, Camilo, Fernando e Davi Macedo acertaram de se encontrar novamente para uma nova rodada visando a fechar essa aliança PT-MDB, em Juazeiro.

Mulher de Giovanni está Inelegível como vice

Nome dos sonhos da base do prefeito Glêdson Bezerra, após a saída de Diogo Machado, genro do empresário Gilmar Bender, a empresária Marcia Tavares não pode ser candidata a vice-prefeita. Esposa do vice-prefeito Giovanni Sampaio, Marcia está impedida de concorrer pelo vínculo de parentesco. Giovanni está no segundo mandato de vice-prefeito e a legislação não permite um terceiro mandato. Apesar do impedimento, Marcia garante que estará no palanque de Glêdson. Recentemente, publicou nas redes sociais uma carta onde deixa clara suas posições contrárias a qualquer candidatura do PT em Juazeiro. Na base de Glêdson chegou a circular a informação de que Márcia Tavares não seria mais inelegível. Entretanto, nem Márcia Tavares, filiada ao Agir, nem o prefeito Glêdson dão detalhes. Ficam no ar as dúvidas. Se Márcia estiver mesmo impossibilitada de ser candidata a vice-prefeita de prefeito Glêdson, a solução deve ser mesmo do suplente de deputado federal Tarso Magno.

Morte do suplente Erasmo racha a oposição do Crato

O assassinato do suplente de vereador Erasmo Moraes, no Crato, acabou gerando um tremendo mal estar na base de oposição do Município. Erasmo era um dos oposicionistas mais ativos e sua morte acabou detonando uma crise. Lideranças como o ex-prefeito Zé Adega e o ex-vereador Bebeto Anastácio, ambos do PL, além do deputado estadual em exercício, Aloísio Brasil (União Brasil), não descartam uma motivação política para a execução. Contudo, não apresentam provas para essa suspeita e, até o momento, as investigações da Polícia Civil não desvendaram as razões da morte. Mas, a insistência nessa tese tem incomodado o empresário Roberto Brasil, pai de Lucas Brasil, nome do PSDB na disputa pela oposição. Roberto é irmão do prefeito Zé Ailton. A insistência nessa narrativa acirrou os debates e acabou dividindo a oposição. Lucas e Roberto estão em silêncio, porém não devem mais retornar às conversas com as lideranças da oposição. Se Lucas mantiver a pré-candidatura deve ser como terceira via, não mais como aliado da oposição no Crato.

Pré-candidatura do PDT coloca pressão na oposição

A demora em decidir sobre os nomes para a disputa contra o prefeito Guilherme Saraiva (PT) está rachando a oposição em Barbalha. Setores oposicionistas estão impacientes. Na última semana, o ex-secretário de Educação, Marcondes Landim, lançou a sua pré-candidatura a prefeito. Marcondes foi secretário na gestão do ex-prefeito Rommel Feijó e está filiado ao PDT. O lançamento não repercutiu. Mas, mesmo assim Marcondes tem garantido que a sua decisão é para marcar o território da oposição e que seu nome está disponível para análise do grupo. Na verdade, Marcondes vai iniciar o enfrentamento contra a candidatura à reeleição do prefeito Guilherme, o que até agora não aconteceu, segundo sua opinião. Também, de quebra, colocará pressão no grupo liderado pelos ex-prefeitos Argemiro Sampaio e Rommel Feijó, para definir o futuro político dos partidos que se opõem ao Abolição em Barbalha. Sobre o PDT, Marcondes garante que a decisão tem o aval da direção e que não há qualquer impedimento ao seu nome. Marcondes é o primeiro pré-candidato do PDT no Crajubar. Em Crato, o partido está na base aliada do prefeito Zé Ailton Brasil (PT) e, em Juazeiro do Norte, o PDT está na base do prefeito Glêdson Bezerra (Podemos), candidato à reeleição.

LINKS PATROCINADOS