Hidrogenio verde e o combustivel do futuro
eusebio junino

População protesta em escola onde criança de 4 anos teria sido estuprada

Mãe da criança disse que o laudo confirmou o abuso.

Foto: Arquivo Pessoal

27/03/24 11:27

A população do bairro Bonsucesso, em Fortaleza, realizaram nesta quarta-feira (27), um protesto em frente a escola infantil João Paulo I. Eles estavam protestando após uma denúncia de abuso sexual contra uma criança de 4 anos, estudante da instituição. Um homem teria praticado o ato na última sexta-feira (22) e a Perícia Forense (Pefoce) teria confirmado o crime. A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) comunicou que a Polícia Civil do Estado do Ceará investiga um estupro de vulnerável.

Ainda segundo a nota, o crime teria ocorrido no interior de uma instituição municipal de ensino. Um inquérito foi instaurado e as investigações estão a cargo da Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca) da PCCE, que realiza diligências e oitivas visando elucidar o caso.

Siga o canal do CN7 no WhatsApp

Segundo o relato da mãe da vítima, que não será identificada para preservar a criança, a menina chegou em casa relatando dores nas partes íntimas. Ainda conforme o relato, ela teria ido beber água quando o suspeito a atraiu para uma sala dizendo que sua amiga estaria machucada, lá ele teria praticado o ato. A mãe levou a criança ao médico que a orientou procurar a delegacia mais próxima onde foi encaminhada para a Pefoce. Ela disse que o laudo confirmou o abuso.

A mãe procurou a instituição e a diretora teria dito “traga ela aqui para gente saber que história é essa”. O homem apontado como suspeito e funcionário da escola não compareceu.

Inscreva-se no canal do CN7 no Telegram

Por meio de nota, a Secretaria Municipal da Educação (SME) informou que abriu uma sindicância e apura rigorosamente a denúncia por meio de um Procedimento Administrativo Disciplinar. O caso está sendo acompanhado pela gestão escolar e pelo distrito de educação responsável, além de ter sido encaminhado ao Conselho Tutelar e à Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca). O suspeito foi afastado da unidade.

Ainda segundo a pasta, logo que a família relatou à escola a suspeita, foi acionada a Comissão de Proteção e Prevenção à Violência Contra a Criança e o Adolescente, existente em todas as unidades municipais de educação de Fortaleza. “A SME reafirma o compromisso com a segurança e a integridade física e moral da comunidade escolar. Não serão tolerados quaisquer indícios de violação dos direitos da criança e do adolescente”, comunicou.

LINKS PATROCINADOS