Sete dias por semana sem medo da notícia!
PM que atirou em quatro pessoas em Ipu é chamado de “assassino” em audiência
O militar que tentou matar a namorada e feriu quatro pessoas continua preso
O soldado saiu do fórum protegido pelo advogado e escoltado por colegas de farda

Sob protestos de familiares das vítimas baleadas, o soldado da PM, Jorgeandro Vieira,  participou, nesta segunda-feira (19) de uma audiência de custódia no Fórum da cidade de Ipu, na Região da Ibiapaba (a 288Km de Fortaleza).  O militar está preso preventivamente por ordem da Justiça Comum após ter baleado quatro pessoas durante uma festa familiar naquela cidade, no começo do mês.

Jorgeandro é PM destacado no Comando de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio), em Fortaleza, e, na madrugada do último dia 4, tentou matar a namorada durante uma discussão banal entre o casal, por causa de ciúmes. Bêbado, ele  sacou uma pistola de calibre Ponto 40 (.40) e tentou matar a jovem, que correu desesperada para dentro da casa onde acontecia uma festa pela formatura de uma colega.

O PM teria disparado cerca  de 17 tiros dentro da residência, deixando feridos o dono da casa, o empresário conhecido por “Serginho Balacó”, a esposa deste e duas sobrinhas, adolescentes. Com um tiro no abdome, “Serginho” permanece internado, em estado grave, na UTI da Santa Casa de Misericórdia de Sobral, onde já passou por várias cirurgias. A esposa e as sobrinhas também foram operadas,  mas já receberam alta médica e se recuperam em casa.

Revolta

Aos gritos de “assassino! Bandido! Tem que morrer na cadeia!”, os parentes das vítimas protestaram no momento em que o PM saía do Fórum da cidade acompanhado de um advogado e escoltado por vários policiais do Batalhão de Policiamento de Guarda Externa de Presídios (BPGEP) e do Policiamento Ostensivo Geral (POG) da região. Após a audiência, ele retornou para Fortaleza e recolhido numa cela do Presídio Militar, onde cumpre a prisão preventiva.

O Comando Geral da PM também instaurou um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD), que pode levar à expulsão do soldado.

Confira o vídeo

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também