PCC e CV controlam fornecimento de prefeituras do Ceará e mais 03 estados

20/02/24 9:11

É escandalosa a situação das administrações públicas nos municípios de quatro estados brasileiros: Ceará, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. Documentos da Polícia Federal, juntamente com outros órgãos de controle e fiscalização, apontam que as duas mais importantes facções brasileiras, a paulista PCC e a carioca CV, controlam as máquinas públicas nas prefeituras desses quatro estados. O Ceará no meio: com suas dominadas pelas organizações criminosas. Para as facções, ao contrário das milícias, dominantes apenas no Rio de Janeiro, não é o domínio do poder local – prefeituras – que está em jogo, mas a oportunidade de obter novos lucros e lavar o dinheiro do tráfico de drogas em atividades lícitas, como lixo, iluminação pública, cooperativas, aluguéis de carros e máquinas, medicamentos, livros e outros serviços contratados a empresas, cujos verdadeiros donos são as facções. Atuam com laranjas, porém, uma investigação simples aponta as fraudes. É por isso que o apoio das facções paulista e carioca a candidatos a vereador e a prefeito é mais importante do que eleger deputados e senadores.

Existe controle das facções em prefeituras no Cariri

O tema é delicado. Há um temor generalizado pelas consequências de um aprofundamento da criminosa relação entre facções e prefeituras no Ceará, inclusive no Cariri. Nesse debate, é proibido dar nomes de envolvidos, em qualquer circunstância. Falar é um convite ao perigo, com risco real de perder a vida. Assim, a Associação dos Prefeitos do Ceara (Aprece) tem evitado se envolver nessa guerra contra as facções PCC e CV, e suas negociatas com prefeituras cearenses. Essas organizações criminosas são violentas, desafiadoras e, hoje, já ameaçam de morte pelo menos dois prefeitos do Ceará. Um deles, seu segurança foi executado no Município, com nove tiros. E ninguém ousa falar. Nem o prefeito que implora pelo silêncio, negando até que quem dava proteção a ele fosse seu segurança. Trata-o como agricultor. Teme morrer se ousar falar, acusar ou cobrar uma apuração. Diz que o mais sensato é calar. É grave a crise nas prefeituras do Ceará, e também em algumas do Cariri.

Domingos Filho veta nome de Davi Macedo

De passagem por Juazeiro do Norte, o presidente estadual do PSD, Domingos Filho, surpreendeu ao comunicar à base do seu partido o apoio incondicional à candidatura do deputado Fernando Santana. O presidente do PSD de Juazeiro do Norte, José Moura, ouviu calado que a direção no Ceará veta as candidaturas do deputado Davi de Raimundão e do vice-prefeito Giovanni Sampaio. Também não tem simpatia pelo retorno de Arnon Bezerra ao cargo de prefeito, daí também descartar apoiá-lo. O presidente José Moura diz, agora, que receia perder filiados, que seriam candidatos ao Legislativo juazeirense, e que teme a possibilidade de uma debandada. Os atuais vereadores, Padre Paulo e Cicinho Cabeleireiro, ameaçam deixar o partido. Tudo por uma divergência de posições. Na reunião no último dia 08, Domingos Filho pediu aos presentes, que fizessem uma avaliação do cenário eleitoral em Juazeiro do Norte. Recebeu uma enxurrada de opiniões de que Davi de Raimundão era a melhor opção, pela boa colocação nas pesquisas, para ser o indicado à disputa pela prefeitura. Domingos Filho não se intimidou e discordou dessas avaliações. Disse que seu partido não apoiará o candidato do ex-prefeito Raimundão, no caso o deputado Davi. Domingos Filho declarou que as avaliações estavam equivocadas e que as atuais pesquisas mostravam o prefeito Glêdson Bezerra com larga vantagem sobre todos os nomes, inclusive sobre Davi de Raimundão. Na avaliação de Domingos Filho, o único candidato capaz de derrotar o prefeito Glêdson é o deputado Fernando Santana. Essa é a posição do PSD-Ceará. O presidente municipal José Moura tratou de acalmar os ânimos dentro da própria reunião, além de continuar atuando como “bombeiro”, para manter o PSD unido no apoio à candidatura de Fernando Santana.

Raimundão trabalha na construção de dois partidos

Tendo à frente articuladores de sua confiança, o ex-prefeito Raimundo Macedo concentra forças na montagem de dois partidos: Rede e Agir em Juazeiro do Norte. Ambos já estão na base do deputado estadual Davi de Raimundão. Pedim de Freitas, vice-presidente do Agir, tem comandado uma série de reuniões, com as presenças do próprio Raimundão, Davi e da chefe de gabinete da Câmara de Juazeiro, Cássia Rejane. Nos encontros, a discussão gira em torno das candidaturas a vereador e tem atraído nomes de peso para os dois partidos. Em um encontro no começo do mês, em um hotel de Juazeiro, o Agir reuniu cerca de 15 lideranças, entre elas as ex-vereadoras Rita Monteiro e Auricélia Bezerra, ambas com potencial alto de votos. Raimundão acerta ao investir no debate sobre a sucessão na Câmara, deixando em segundo plano a discussão sobre a chapa majoritária. Quando perguntado sobre a posição que irá adotar nas eleições para prefeito, Raimundão diz apenas que é da base do governador Elmano e do ministro Camilo Santana.

Fernando articula até dentro da Arena Romeirão

Não há mais dúvidas no Abolição, sobre a candidatura do deputado Fernando Santana à sucessão do prefeito Glêdson Bezerra. No sábado (17), Fernando Santana convidou vários líderes políticos de Juazeiro do Norte para acompanhá-lo até a Arena Romeirão e lá assistir ao jogo do Cariri x Itapipoca. Fernando Santana queria testar a popularidade. E passou no teste. Não foi vaiado. Ao contrário, ganhou muitos apertos de mão, abraços e declarações de apoio e estímulo a sua candidatura. Saiu confiante com o futuro de sua jornada, de enfrentar e derrotar o favoritismo de Glêdson Bezerra. Fernando Santana é movido a desafios. Conhece Juazeiro do Norte e se relaciona muito bem com os políticos da Terra de Padre Cícero. No sábado, uniu antigos adversários e todos estavam juntos, declarando publicamente que Fernando Santana é o melhor nome para promover o desenvolvimento e trazer qualidade de vida para Juazeiro do Norte. Ao lado de Fernando Santana, estavam Raimundão e o filho Davi Macedo; o ex-deputado Pedro Bezerra, representando seu pai, ex-prefeito Arnon Bezerra; o suplente de deputado federal Nelinho Freitas; vereadores e outros aliados do Abolição. Deputado Yury do Paredão não compareceu, como o vice-prefeito Giovanni Sampaio, mas ambos são categóricos: Fernando Santana une Juazeiro e será nosso candidato a prefeito. Não há dúvidas sobre essa candidatura. Falta, apenas, o governador e o ministro Camilo Santana anunciarem oficialmente o nome de Fernando Santana. O diretório municipal do PT de Juazeiro já divulgou o calendário para o anúncio dessa candidatura.

Pedro Lobo manobra no comando da federação

O vereador cratense Pedro Lobo (PT) insiste em dificultar a vida do prefeito do Crato, Zé Ailton Brasil, até o último instante da discussão pela sucessão no Município. Depois de tensionar e ser enquadrado pelo deputado federal José Guimarães e pelo próprio Zé Ailton, o vereador do PT prometeu uma trégua para baixar os ânimos na base aliada. A promessa foi assumida em reunião com Zé Ailton, na volta do recesso de 15 dias. E não cumprida. Pedro Lobo voltou a atacar o prefeito Zé Ailton, ainda o retaliou, indicando o presidente municipal do PCdoB, Samuel Siebra, para ficar à frente da Federação Brasil da Esperança (PT, PV e PCdoB) no Crato. Samuel é oposição ao prefeito Zé Ailton e defensor da candidatura de Pedro Lobo a prefeito. Com a passagem do bastão, Pedro Lobo sai de cena, mas tenta garantir a continuidade dos ataques à gestão e a condução do processo de sucessão pelo próprio prefeito Zé Ailton. Guimarães deve ser acionado e Pedro Lobo enquadrado. Afinal, já sabe que não será candidato a prefeito pelo PT no Crato. Se quiser sair, o PT não fará esforço para segurá-lo

LINKS PATROCINADOS