Hidrogenio verde e o combustivel do futuro
eusebio junino

MPCE recomenda aumento do número de profissionais de enfermagem no IJF

Segundo o MP, o IJF, atualmente, conta com um déficit de 128 enfermeiros

(Foto: divulgação/MPCE)

17/01/24 18:21

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio da 137ª Promotoria de Justiça de Fortaleza e do Centro de Apoio Operacional da Saúde (Caosaúde), recomendou, nesta terça-feira (16), que a Prefeitura de Fortaleza aumente o número de profissionais de enfermagem no Instituto Dr. José Frota (IJF). Segundo o órgão, a gestão municipal deverá apresentar, em até 20 dias, um cronograma para suprir a carência dos profissionais com ações a serem desenvolvidas em curto (três meses), médio (seis meses) e longo prazo (um ano e seis meses).

Siga o canal do CN7 no WhatsApp

Conforme a 137ª Promotoria de Justiça de Fortaleza, o IJF, atualmente, conta com um déficit de 128 enfermeiros e 235 técnicos de enfermagem, sem contabilizar afastamentos por orientação médica, ausências e aposentadorias. “O problema da carência de profissionais de enfermagem afeta tanto os que estão em efetivo exercício, pelo acúmulo de trabalho, quanto tem ocasionado um evidente prejuízo na assistência de pacientes”, reforça a promotora de Justiça Ana Cláudia Uchoa, titular da 137ª PJ.

Ainda segundo o MPCE, o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-CE) ressaltou que a convocação de profissionais aprovados no último concurso não foi suficiente para cobrir a necessidade de enfermeiros e técnicos de enfermagem que o IJF possui. O Coren/CE ainda pontuou que os pagamentos de plantões extras e suplementações de carga horária não tem sido atrativo para os enfermeiros, que precisam ter interesse em aderir a esses instrumentos.

“É necessário que a Prefeitura de Fortaleza se adeque às normas técnicas de segurança ao pacientes internado, solucionando a situação do subdimensionamento de profissionais, a fim de evitar prejuízos à população que busca os serviços de saúde prestado pelo IJF e garantindo assistência ao usuário da saúde pública com qualidade e segurança”, pontuou a coordenadora do Caosaúde, promotora de Justiça Karine Leopércio.

Inscreva-se no canal do CN7 no Telegram

A carência de profissionais de enfermagem no hospital também trouxe a preocupação quanto ao possível cancelamento de diversas cirurgias eletivas, conforme apontado em relatório da Assessoria Psicossocial da 137ª PJ de Fortaleza, o que está sendo investigado pelo Coren-CE. “Foi verificado que a maior parte dos setores [do IJF] atua com metade dos técnicos e auxiliares de enfermagem prevista por não ter o hospital reserva técnica para cobrir as ausências”, destaca o MPCE na recomendação.

LINKS PATROCINADOS