Ministro das Minas e Energia confirma ameaça de cassação da concessão da ENEL

Coluna Rebate

02/04/24 10:08

A pressão da CPI da ENEL no Ceará, liderada pelo presidente Fernando Santana e pelo relator Guilherme Sampaio, finalmente teve seus protestos ouvidos em Brasília, contra o péssimo serviço dessa distribuidora que atende ao Ceará. Nesta segunda, 1º de abril, o ministro das Minas e Energia, Alexandre Silveira, anunciou ter chegado o momento máximo de insatisfação contra o serviço prestado pela ENEL às populações de São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará. Durante entrevista à Globonews, ministro Alexandre Silveira não titubeou: “Abri um processo disciplinar contra a Enel, que é a empresa responsável pela distribuição de energia em São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará. Assim a concessionária pode ter o seu contrato rompido. E ser expulsa do Brasil. Declarações fortes dadas em Brasília, que alcançaram repercussão imediata no Ceará. A CPI da ENEL já tenta uma nova audiência com o ministro Alexandre Silveira. Quer discutir quais soluções urgentes estão colocadas para que haja uma nova licitação para a escolha de uma distribuidora competente para atender o Ceará. A situação no Estado tem gerado revolta. Na semana passada, houve blackout em dezenas de cidades, inclusive no corredor turístico do Ceará, que liga as praias de Jericoacoara a Canoa Quebrada. O próprio governador Elmano de Freitas, que está em Brasília, nesta terça (02), também pode se reunir com o ministro Alexandre Silveira, que está revoltado com a ENEL: “A Enel demonstra, de forma reiterada, que é uma empresa que está desprepara para prestar o serviço à altura do que a população brasileira exige”, declarou. Segundo o ministro, “ dos mais de 300 milhões de reais em multas aplicadas no Brasil, a Enel não pagou nenhuma delas.” O contrato de concessão da Enel pertence a Aneel, que é gerida pelo governo federal. E aí está a razão dele ameaçar cassar a concessão da ENEL no País.

Palavra final será dada pelo ministro Camilo

A liderança incontestável do ministro da Educação, Camilo Santana, no Ceará, ainda se mostra mais forte no Cariri. Em todo o estado, as pesquisas apontam altas taxas de aprovação popular a Camilo, superando inclusive aos números positivos do presidente Lula. Essa realidade nunca havia existido no Ceará. Nunca nenhum político ousou desafiar a força de Lula. Camilo, como aliado, superou o grande líder petista. E esse prestígio do ministro Camilo no Cariri, não tem comparação. A região o respeita, e o ministro da Educação tem liderança para efetivamente influenciar na maioria das eleições municipais. Não é à toa que o PT espera eleger prefeitos em 20 dos 29 municípios caririenses. Nesse cenário, Camilo avisou aos aliados que onde ainda não houve consenso, sobre a definição de candidato, como por exemplo no Crato, a decisão começará a ser tomada em maio. O ministro da Educação, bem fiel a seu modelo, ouvirá a todos, e após essas consultas, decidirá o caminho eleitoral do PT, principalmente nas duas maiores cidades do Crajubar: Crato e Juazeiro do Norte.

Davi mantém pré-candidatura e preocupa base em Juazeiro

O confronto entre os partidos da base governista está começando a preocupar os aliados do Abolição em Juazeiro do Norte. Na briga de Juazeiro, que promete ser uma das mais duras, até agora, o MDB não abriu mão de ter candidato próprio. Para o presidente estadual, deputado Eunício Oliveira, é uma questão de sobrevivência. Alinhado à estratégia do partido, o deputado estadual Davi de Raimundão voltou a reafirmar sua pré-candidatura. Havia uma expectativa de que Davi recuasse de se manter candidato, após a confirmação do lançamento do deputado estadual Fernando Santana (PT). No próprio evento, Fernando teve a presença e o apoio da maioria esmagadora das lideranças ligadas a base governista no Município, como o ex-prefeito Arnon Bezerra e o ex-deputado estadual Nelinho Freitas, ambos pré-candidatos. Davi não foi ao encontro que lançou Fernando Santana e, em entrevista, na Assembleia Legislativa, no último dia 27, disse que continua na disputa e que vai pedir o apoio de Fernando Santana.

Governador Elmano não quer abrir mão de Fernando

Uma revelação ameaça mudar os planos do Abolição para as eleições em Juazeiro do Norte. Há o risco de uma surpresa: o ex-deputado estadual Nelinho Freitas voltar ao jogo eleitoral, na disputa contra a reeleição do prefeito Glêdson Bezerra, devido um pedido do governador Elmano de Freitas. Durante conversa com o ministro Camilo Santana, o governador Elmano disse que precisa de uma pessoa como Fernando Santana ao seu lado na presidência da Assembleia Legislativa do Ceará, ou, quem sabe, até mesmo como o seu vice-governador no futuro. Não descartando que ele poderá ser indicado para posições de destaque num futuro próximo. Elmano colocou uma dúvida na cabeça de Camilo. Perguntado sobre quem poderia ser o nome da base, Elmano citou Nelinho, avaliando o ex-deputado como uma pessoa com potencial e fiel ao grupo governista. Camilo teria dito que iria conversar mais e depois voltar a falar com Elmano. Agora, Nelinho terá que fazer uma aposta: se filiar ao PT para arriscar uma indicação ou permanecer no MDB na esperança de assumir como deputado federal. O prazo é até o dia 6.

Dr. Leitão se filia ao PSB e quer ser vice no Crato

O promotor aposentado Leitão Moura assinou a filiação ao PSB e se fortaleceu na corrida para compor a chapa do PT como candidato a vice. Leitão ainda é pré-candidato, mas sabe que o nome da cabeça da chapa virá obrigatoriamente do PT. Mas, não foi à toa que Leitão abriu mão da suplência de deputado estadual pelo Cidadania. Soube esperar: nessa recuo estratégico, ele compreendeu o enfraquecimento provisório do seu genro, Cid Gomes, dentro da base aliada do governo Elmano, para bancar o seu nome na disputa majoritária. Ciente disso, se articulou porque sabe que o seu foco é manter a gestão do Parque de Exposição do Crato. A vice seria bônus eleitoral. O ato de filiação, dia 27, teve a presença do prefeito Zé Ailton Brasil (PT), que vai indicar o nome para liderar a chapa e terá força para opinar na escolha do vice- prefeito. Além de Leitão, estão cotados os nomes de Rafael Branco e Florisval Coriolano. A disputa tem, ainda, uma opção vinda do PDT, que pode ser o vereador Dr. Dudé, mais votado em 2020. A base governista tem se manifestado contra essa indicação.

Duelo de Glêdson contra Fernando por partidos

A sucessão em Juazeiro do Norte promete ser uma das mais tensas de toda a sua história política. Foram montadas duas pesadas frentes partidárias – Glêdson Bezerra versus Fernando Santana – para duelarem pelo voto do povo juazeirense. Respaldado por dois ex-governadores, Tasso Jereissati e Ciro Gomes, que hoje lideram a oposição ao governo do PT no Ceará, o prefeito Glêdson Bezerra tende mesmo a permanecer no Podemos, avalizado pela posição firme da presidente nacional, Renata Abreu, empenhada pessoalmente em sua reeleição. Glêdson, para conseguir ser o primeiro prefeito juazeirense a se reeleger, montou uma frente partidária com nove siglas: Podemos, PDT, PSDB, Cidadania, PL, União Brasil, PP, NOVO e DC. Essa ampla aliança do prefeito Glêdson surpreendeu ao Governo, pois o atual prefeito de Juazeiro estava isolado, após ter rompido com o Abolição. Mesmo sem diálogo, Glêdson conseguiu costurar, ainda, o apoio de oito vereadores. E está confiante que possa eleger, além desses, outros novos nomes que concorrerão à Câmara Municipal. Os outros três pré-candidatos também têm seus partidos aliados. A maior frente partidária das eleições em Juazeiro do Norte será do candidato petista Fernando Santana, com 11 siglas: a Federação PT-PV-PCdoB, PRD, PSD, PSB, PRTB, Republicanos, Avante, Solidariedade e PMN. Já, o candidato Davi de Raimundão, tem o MDB, o Agir e a Rede. Germano Lima disputará como candidato do PSOL.

LINKS PATROCINADOS