Sete dias por semana sem medo da notícia!
Matador de uma facção é preso na maternidade ao visitar a esposa após o parto
Segundo a Polícia, o bandido praticava assassinatos por ordem do chefe da quadrilha
Ednardo Nunes tem em sua ficha criminal cinco assassinatos e um tráfico de drogas

Policiais da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) capturaram  dentro de uma maternidade, no Centro de Fortaleza, um dos bandidos mais perigosos da Capital e apontado como sendo o “matador” de uma facção criminosa que atuava na região do  Grande Mucuripe, na zona Leste da Capital.  O foragido foi detido quando ia visitar a esposa que acabara de ter um filho.

Ednardo Nunes de Souza, 28 anos, é acusado de uma série de assassinatos nas comunidades do Cais do Porto, Serviluz e Castelo Encantado. De acordo com a Polícia, ao menos cinco assassinatos dos muitos atribuídos ao bandido já foram confirmados.

Na manhã do último sábado (15), Ednardo foi flagrado pelos policiais da DCTD quando fazia uma entrega de drogas  na Praça das Docas, no Mucuripe. Apesar do cerco policial, ele conseguiu escapar em um veículo, numa troca de tiros com os inspetores. Mais  tarde,o carro usado na fuga foi encontrado abandonado.

Na última segunda-feira (17), os inspetores da Divisão descobriram que o foragido estava seguindo para o Hospital e Maternidade Doutor César Cals, localizado no Centro da Capital (Avenida do Imperador) e montaram o cerco.  O bandido não conseguiu fugir desta vez.

Matador

De acordo com o diretor da DCTD, delegado Pedro Viana, Ednardo era o matador de uma facção comandada pelo traficante Francisco Adriano de Sousa, o “Sibite”, recém capturado pela Polícia cearense na cidade de Nova Lima, em Minas Gerais (MG).

“Ele são parceiros de crimes. O Ednardo matava por ordem do “Sibite”. Começou trabalhando para o traficante e foi crescendo dentro da organização criminosa, até que houve uma divisão de área (do tráfico) e ele passou a traficar por conta própria e em parceria com o chefe do bando”, explicou o delegado.

O bandido foi encaminhado à carceragem do Complexo das Delegacias Especializadas (Code), mas deverá ser encaminhado para o Sistema Penitenciário nas próximas horas, dada a sua alta periculosidade e o risco de fuga ou resgate.

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também