Leonardo Araújo exige na AL investigação sobre repasse de R$ 20 mi em propina a Cid

Leonardo Araújo

25/05/17 14:37

O deputado estadual Leonardo Araújo (PMDB) usou a tribuna da Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (25), para cobrar mais empenho de seus pares na apuração das falas de Wesley Batista, um dos donos da JBS, em que revela o pagamento de R$ 20 milhões em propina a Cid Gomes, em 2014, para o uso na campanha eleitoral.

“Defendemos a investigação aprofundada da suposta propina paga pela JBS a Cid Gomes, acusado na maior delação da história brasileira de ‪prática incompatível com a dignidade, a honra e o decoro da função pública”, disse Leonardo.

De acordo com ele, o ex-governador Cid confirmou que o empresário Wesley Batista “não inventou, não aumentou, nem mentiu aos procuradores do MPF de Brasília, que o Governo do Ceará pagou R$ 110 milhões à JBS”.

O parlamentar chamou a atenção para o fato de os recursos serem liberados pelo Governo coincidindo com o período das doações feitas pela JBS para a campanha de Camilo Santana. “Sabemos o nome e o CNPJ dos fornecedores e prestadores de serviço da campanha do Camilo em 2014, que emitiram notas frias para a JBS”, afirmou.

Muito sério

Segundo Araújo, em 2015, nenhuma empresa recebeu esses recursos de isenções fiscais. Para ele, isso reforçaria “a tese de que os pagamentos são generosos e deságuam nos anos de eleição”.

Leonardo rebateu ainda o argumento de que os recursos teriam que ser liberados em 2014, pois era o último ano do Governo Cid Gomes, e a ausência de pagamento poderia ser punida pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

“Uma vez confirmado o atrelamento do Fundo de Desenvolvimento Industrial à Lei de Responsabilidade Fiscal, cabe perguntar quanto em crédito de ICMS da exportação ficou preso na Sefaz (Secretaria da Fazenda) de 2010 para 2011? E de 2014 para 2015?”, questionou.

Veja e ouça o pronunciamento completo de Leonardo Araújo

LINKS PATROCINADOS