sete dias sem medo da notícia
Exclusivo
Leia a integra do documento de 92 páginas sobre operação da PF contra Ciro e Cid Gomes
O CN7 teve acesso ao documento de 92 páginas assinado pelo juiz Danilo Dias
Ciro Gomes
Por : Redação CN7
15/12/21 18:56

O CN7 teve acesso, com exclusividade, ao documento completo de 92 páginas que foi assinado pelo juiz, Danilo Dias Vasconcelos de Almeida, da 32ª Vara Federal, que autorizou a Polícia Federal (PF) a realizar um mandado de busca e apreensão no apartamento do presidenciável Ciro Gomes (PDT). Na oportunidade os agentes entraram no imóvel do ex-ministro em busca de documentos que comprovassem o recebimento de R$ 11 milhões em propinas da Galvão Engenharia, entre os anos de 2010 e 2013, época em que Cid Gomes (PDT) era Governador do Ceará.

Na página 45, o documento comprova que a Galvão Engenharia comprava notas fiscais frias de cimento pagando 7% do valor da nota fiscal nas empresas Aki Cimento, localizada em Juazeiro do Norte, e Verdinho Cimento, que fica em Araripe, ambas de propriedade do comerciante Gerardo Júnior. A Polícia Federal também descobriu que esse esquema montado pelos irmãos Ferreira Gomes e a Galvão Engenharia usou uma empresa de fachada do lobista, Adir Samir Assad, para alugar maquinário. O documento mostra, ainda, que o valor cobrado variava de 12 a 14%.

Sobre o caso

As investigações tiveram início no ano de 2017, sendo identificados indícios de esquema criminoso envolvendo pagamentos de propinas para que a Galvão Engenharia obtivesse êxito no processo licitatório da Arena Castelão e, posteriormente, na fase de execução contratual, recebesse valores devidos pelo Governo do Estado do Ceará ao longo da execução da obra de reforma, ampliação, adequação, operação e manutenção da praça esportiva.

Além do apartamento de Ciro, a Polícia Federal também realizou foi ao sítio do senador Cid, localizado na Meruoca. Outros domicílios em Juazeiro do Norte, São Paulo, Belo Horizonte e São Luís também foram investigados. No documento, o juiz Danilo Dias autoriza também a quebra de sigilo bancário e telefônico os irmãos Ferreira Gomes e de mais 12 alvos da investigação, entre pessoas físicas e jurídicas.

Leia o documento completo:

LINKS PATROCINADOS