Lava Jato apura se doação de R$ 500 mil da JBS para Ronaldo Martins é propina

Deputado federal Ronaldo Martins (PRB)

12/05/17 10:44

O presidente da JBS, Joesley Batista, foi levado, nesta sexta-feira (12),  pela Polícia Federal para depor e explicar o pagamento de propina ao PT e a outros partidos em troca de empréstimos fraudulentos no BNDES. A ação faz parte de mais uma etapa da Lava Jato, agora, na Operação Bullish. As doações eleitorais cuja origem é corrupção aconteceram em todo o País, e em especial no Ceará.

Aqui, um dos deputados federais a ser investigados é Ronaldo Martins (PRB). A JBS fez uma transferência de número 6159447, no valor de R$ 500 mil para a conta de campanha do então candidato no ano de 2014, como pode ser comprovado no documento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O depósito na conta do deputado federal Ronaldo Martins, do PRB, ocorreu no dia 18 de agosto de 2014.

Além dele, outros políticos foram beneficiados no Ceará, como o também deputado federal Chico Lopes (PCdoB), que recebeu R$ 350 mil, no dia 23 de setembro de 2014, da JBS por meio do diretório estadual do partido.

O portal Ceará News 7 está concluindo o levantamento sobre todos candidatos que receberam supostamente propina da JBS via doações eleitorais.

Atualizando (13h30 – 12/05/17)

O presidente da JBS, Joesley Batista, como informou esta matéria mais cedo, não foi levado pela PF para prestar depoimento. Isso não aconteceu porque, segundo a coluna de Lauro Jardim, em O Globo, o empresário “embarcou anteontem [quarta-feira] à noite, em seu avião particular, para Nova York. De lá, em seu apartamento, acompanha a operação Bullish, que autorizava conduzi-lo coercitivamente para depor”.

LINKS PATROCINADOS