Sete dias por semana sem medo da notícia!
Justiça decreta prisão do marido que matou esposa a tiros e jogou o corpo do carro
Assassino ainda está hospitalizado por ter tentado praticar o suicídio após o crime
O autor do crime está hospitalizado, mas será preso logo que receba alta médica
Ouça a matéria

A Justiça decretou nesta segunda-feira (13), a prisão preventiva do homem que matou a esposa a tiros e atirou o corpo dela do carro em movimento. O crime ocorreu na semana passada na zona Oeste de Fortaleza. Após o feminicídio, o suspeito fugiu e tentou suicidar-se, mas foi preso em flagrante por policiais do CPRaio e permanece hospitalizado.

A prisão preventiva foi decretada à pedido da Polícia Civil, que investiga o assassinato da dona de casa, Ana Angélica Pereira Capistrano, 48 anos. Na manhã do último dia 7, ela seguia no carro com o marido, Carlos Alberto Soares Capistrano, quando, de repente, surgiu uma discussão entre o casal.

 Em meio ao entrevero, ele sacou um revólver e atirou várias vezes contra a mulher ainda dentro do veículo em movimento. O crime aconteceu na Avenida Mister Hull, próximo ao viaduto da Avenida Perimetral, no bairro Antônio Bezerra.  Testemunhas contaram que o home abriu a porta do lado do carona e atirou o corpo da mulher na avenida. Em seguida, parou o carro, desceu e disparou mais vezes com a mulher já no solo.

De acordo com testemunhas, o assassino fugiu em alta velocidade, mas foi perseguido por uma patrulha do CPRaio até o bairro Parquelândia. Na Rua Raimundo Arruda, os pneus do carro do homicida foram estourados com tiros disparados pelos militares. Foi neste momento que Carlos Alberto tentou suicidar-se.

Ciumento e agressivo

Ao perceber que não havia mais balas no revólver, o assassino se apoderou de uma tesoura que havia no porta-luvas do automóvel e passou a se ferir, foi quando acabou dominado pelos PMs e algemado. Em estado grave, foi levado numa ambulância do Samu para o Instituto Doutor José Frota (IJF-Centro), oinde permanece em estado regular.

Conforme a Polícia Civil apurou, a mulher já havia prestado queixa contra o marido agressor. Ela classificou Carlos Alberto como um homem “ciumento, possessivo e violento”.  Com a decisão da Justiça, Carlos Alberto segue para o presídio tão logo receba alta e seja autuado em flagrante.

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também