Sete dias por semana sem medo da notícia!
Jovens torturadas e mortas desapareceram após terem saído de festa na Beira-Mar
Os corpos delas foram achados mortas na manhã de domingo, no José Walter
Kaiane Andrade Santana, uma das vítimas do duplo assassinato

A Polícia Civil, através do seu Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), já tem pistas para desvendar o mistério em torno do assassinato das duas jovens, cujos corpos foram encontrados com marcas de tortura e tiros, na manhã de domingo (10), na zona Sul de Fortaleza.  As duas garotas eram moradoras do bairro Vicente Pinzón, na zona Leste, e desapareceram depois de terem participado de uma festa em uma barraca na Beira-Mar.

Ontem à tarde (11), os corpos das duas garotas foram oficialmente identificados e reconhecidos por familiares no necrotério da Coordenadoria de Medicina Legal (Comel), da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). Luana Lucas Ribeiro e Kaiane Andrade Santana, ambas de 16 anos, saíram do Vicente Pinzón, no sábado à noite, para a festa numa barraca na Praia de Iracema e depois desapareceram. No dia seguinte, os corpos foram localizados em um matagal próximo ao cruzamento das avenidas I e H do José Walter, nas cercanias do Condomínio Cidade Jardim II.

De acordo com a Perícia Forense, nos corpos das duas garotas havia sinais visíveis de torturas, além dos ferimentos a tiros. Uma das jovens morreu de joelhos. Ambas foram atingidas com tiros na cabeça, o que caracterizou a execução sumária. Havia marcas de espancamento nos braços e pernas e cabelos cortados.

As famílias receberam a autorização para o sepultamento ainda na tarde de ontem. Kaiane era filho do presidente da Associação dos Jovens do Vicente Pinzón e foi enterrada, por volta de 15 horas, no Cemitério São João Batista, no Centro de Fortaleza. Já a família de Luana informou que ela seria sepultada no cemitério público da cidade de Amontada (a 154Km de Fortaleza).

Facções?

As duas jovens eram vizinhas e amigas. Kaiane fazia um curso para se tornar cabeleireira. Luana havia parado de estudar , mas planejava retornar aos estudos em 2020.  As duas costumavam sair juntas, mas não revelaram para as famílias nenhum tipo de ameaça. Contudo, moravam em uma área da cidade onde há uma intensa rivalidade entre as facções criminosas GDE (Guardiões do Estado) e CV (Comando Vermelho). 

A Polícia acredita que, pelas características como o crime foi praticado, não há dúvidas de que o duplo assassinato foi praticado por bandidos de facções.  O crime está sendo  apurado pela  equipe de delegado, inspetores e escrivães da 9ª Delegacia do DHPP

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também