sete dias sem medo da notícia
Jornalista que relatou epidemia da Covid-19 na China é condenada a prisão
Ela foi responsável por divulgar a situação caótica dos hospitais na China
Zhang Zhan. (Foto: Handout / YOUTUBE / AFP)
Por : Redação CN7
28/12/20 17:52

A jornalista Zhang Zhan, de 37 anos, foi condenada pelo tribunal chinês nesta segunda-feira (28) a uma pena de quatro anos de reclusão, acusada de “divulgar informações falsas pela internet”. Segundo a Agência Brasil, a profissional foi responsável por divulgar reportagens nas redes sociais, em fevereiro, mostrando a situação caótica dos hospitais na cidade de Wuhan, que à época era o epicentro da então epidemia da Covid-19.

Natural de Xangai, Zhang é a primeira jornalista cidadã a ter sido julgada, e condenada, pelo tribunal chinês por relatar, em primeira mão, a situação de hospitais lotados e ruas vazias em Wuhan. “Não entendo. Tudo que ela fez foi dizer algumas palavras verdadeiras, e por isso pegou quatro anos.”, disse Shao Wenxia, mãe da jornalista. À época, a versão oficial era diferente da narrativa exposta pela ex-advogada.

Após o final do julgamento, o advogado de defesa, Ren Quanniu, afirmou à agência de notícias Reuters que vai recorrer da decisão. “Provavelmente apelaremos.”

Além de Zhang Zhan, outros três jornalistas também foram presos na China após a cobertura dos eventos: Chen Qiushi, Fang Bin e Li Zehua.

Censura

A mídia estatal creditou o sucesso do país na contenção do vírus à liderança do presidente Xi Jinping. Por outro lado, as críticas sobre a maneira como a China lidou inicialmente com a crise foram censuradas. Pessoas que relataram o que estava acontecendo foram advertidas.

A pandemia

A pandemia do novo coronavírus se disseminou em todo o mundo, já infectou mais de 80 milhões de pessoas e matou mais de 1,76 milhão.

LINKS PATROCINADOS