sete dias sem medo da notícia
Execução de jovem em um restaurante deixa clima tenso na Praia de Iracema
O crime filmado, no bairro de Fátima, teria sido um "acerto de contas" de traficantes
O jovem foi fuzilado por bandidos que usavam roupas com o nome da Polícia Civil
Por : Fernando Ribeiro
07/08/20 11:24

Policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) já prenderam um dos suspeitos de envolvimento no assassinato de um homem dentro de um tradicional restaurante de comidas típicas e regionais em Fortaleza, situado no  bairro de Fátima, em Fortaleza. O crime ocorreu na noite de domingo último (2) e foi filmado pelas câmeras do estabelecimento. Os assassinos se passaram por policiais civis.

A morte do jovem identificado como Gutemberg de Sousa Ferreira, 25 anos, aconteceu no momento em que ele e outros três jovens, entre eles a namorada da vítima, jantavam no restaurante localizado na Avenida 13 de Maio.  O local foi invadido por três homens que usavam roupas pretas com a inscrição “Polícia Civil”, e também balaclavas (capuzes pretos)  para impedir o reconhecimento.

Para a Polícia, não restam mais dúvidas de que o crime no restaurante foi uma execução sumária ligada ao tráfico de drogas tendo como endereço a Praia de Iracema, onde o jovem assassinado morava, na Rua Arariús. Ele era sobrinho da traficante (já falecida), Gabriela de Sousa Bonfim, a “Gaby”, que durante muito tempo comandou o comércio de drogas na Praia de Iracema juntamente com seu comparsa e companheiro Francisco Wescley Bento de Lima, conhecido por “Leleca”, já preso pela PF.

Em junho de 2014, numa operação da Denarc, 11 pessoas foram capturadas como envolvidas no tráfico de drogas na Praia de Iracema e, destas, a maioria membros da quadrilha então comandada por “Gaby”. Ela foi presa, assim como uma tia, escrivã da Polícia Civil, então lotada no 33º DP (Goiabeiras/Barra do Ceará).   Na época, a Polícia investigava a morte do jovem Felipe Nathan de Lima Silva, na Favela Baixa Pau, também localizada na Praia de Iracema.  O crime era atribuído aos traficantes da Graviola.

Mesmo após a morte de “Gaby”, familiares dela continuaram o negócio das drogas naquele bairro da zona nobre de Fortaleza. Alguns já foram presos diversas vezes em operações da Polícia Civil através da então Delegacia de Narcóticos (Denarc), hoje transformada em Departamento de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD).

Presos no velório

Pistas apontam que o crime ocorrido no último domingo (2) teria sido praticado por traficantes moradores da Favela da Graviola, situada entre as ruas Gonçalves Ledo e Nogueira Acioli, nas proximidades do Mercado dos Pinhões, que estariam tentando assumir o comando do controle do tráfico no bairro.  Um traficante conhecido por “Murilo” seria um dos mandantes da execução no restaurante.

Na última segunda-feira (4), a Polícia cercou a casa onde acontecia o velório do rapaz assassinado,  diante da informação de que no local  vários bandidos armados planejavam uma vingança, com invasão à favela da Graviola. Cinco pessoas foram presas. Algumas usavam tornozeleiras  eletrônicas.   O clima naquela área da cidade continua tenso.  

PUBLICIDADE
LEIA TAMBÉM