sete dias sem medo da notícia
Luto
Ex-técnico do Ferroviário, Marcelo Veiga morre aos 56 anos vítima da Covid-19
Aos 56 anos de idade, ele estava internado na Santa Casa, em Bragança Paulista
(Foto: Xanddy Rodrigues/FerroviárioAC)
Por : Redação CN7
14/12/20 19:18

Morreu nesta segunda-feira (14), vítima da Covid-19, o ex-técnico do Ferroviário, Marcelo Veiga. Aos 56 anos de idade, ele estava internado na Santa Casa, em Bragança Paulista, interior de São Paulo. A notícia foi confirmada pela assessoria de imprensa do treinador. Informações sobre local e horário do velório não foram divulgados.

A última equipe dirigida por Marcelo Veiga foi o São Bernardo (SP), onde disputou a Copa Paulista. Em novembro, Marcelo Veiga foi diagnosticado com Coronavírus e precisou ser afastado das funções para se tratar. Porém, no último dia 20, ele precisou ser internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após complicação da doença.

A história de Marcelo Veiga no futebol cearense está completamente ligada ao Ferroviário. Afinal, foi no Tubarão da Barra que o ex-lateral esquerdo teve grande sucesso, ficando marcado na história do clube. Em 1988, foi dele o gol que deu o título cearense ao time coral. Em 2004, já como treinador, comandou o tricolor da Barra antes de ir para o Bragantino (SP), onde também é ídolo. A segunda, e última, passagem do técnico pelo Ferrão foi em 2019, onde comandou a equipe na primeira fase do Campeonato Brasileiro Série C.

Além do Ferroviário, Marcelo Veiga também defendeu as cores do Fortaleza, como jogador, no ano de 1997.

A assessoria de imprensa do Ferroviário lançou uma nota de pesar lamentando o falecimento do seu ex-treinador.

Leia o texto:

“É com profunda tristeza que informamos sobre o falecimento do ex-técnico, ex-jogador e ídolo coral, Marcelo Veiga, nesta segunda-feira, dia 14 de dezembro.

Marcelo Veiga tinha 56 anos e não resistiu às complicações da Covid-19. Como atleta atuou na lateral-esquerda do Ferrão entre os anos de 1988 e 1989, sendo o autor do gol do título de Campeão Cearense de 1988. Em sua trajetória como técnico dirigiu o Tubarão da Barra em duas oportunidades, sendo a primeira delas em 2004 e a mais recente, em 2019, durante o Campeonato Brasileiro da Série C a Taça Fares Lopes do mesmo ano.

A Diretoria Executiva, Conselho Deliberativo, funcionários e colaboradores se solidarizam com a dor da família decretando o luto oficial por três dias. Prezamos para que Deus conforte o coração dos familiares e amigos neste momento.”.

LINKS PATROCINADOS