Sete dias por semana sem medo da notícia!
Esquema de propina envolvendo Ciro e Cid Gomes vira escândalo nacional
A reportagem da Revista Veja aponta os irmãos num esquema de propina e extorsão
Ciro e Cid teriam ainda "comprado" por R$ 2 milhões o controle do Pros no Ceará, diz a revista

O escândalo de pagamento de propina envolvendo o ex-governador  do Ceará e candidato a  Presidente do Brasil, Ciro Gomes (PDT), vira escândalo nacional. O esquema criminoso foi revelado pela revista Veja. Ciro se defende atacando.

Ciro Gomes foi o primeiro a se defender atacando, depois vieram a vice-governadora Izolda Cela e o irmão do presidenciável, ex-governador Cid Gomes.

O candidato a presidente já processou a Revista Veja e acabou perdendo a causa na Justiça. A revista revelou um esquema de desvio de R$ 300 milhões do político cearense durante sua gestão à frente do Ministério da Integração.

Ciro Gomes diz que não é investigado pela Operação Lava-Jato, mas a Polícia Federal está no seu encalço, segundo reportagem da Veja publicada nesta sexta-feira (31).  À pedido da Procuradoria da república no Ceará (Ministério Público federal/MPF), a PF apura um esquema de extorsão contra empresários pelo governo do Ceará.

Testemunha

De acordo com a revista, entre os suspeitos figuram um dos irmãos. O marqueteiro e um ex-empregador de Ciro Gomes e, agora, apareceu uma testemunha dizendo que o próprio Ciro participava do esquema.

“Ciro sabia e participava, com certeza”, declara Niomar Calazans, ex-primeiro tesoureiro do Pros, ao qual Ciro Gomes e seu irmão Cid foram filiados de 2013 a 2015. Calazans afirma  que o esquema de extorsão era usado para financiar campanhas eleitorais.

O tesoureiro diz também que os irmãos Ferreira Gomes pagaram R$ 2 milhões para “comprar” o controle do pros nas eleições de 2014 no Ceará e, desde então, passara a orientar as ações locais da sigla.

Com informações do BR18

 

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também