sete dias sem medo da notícia
Empresário que desafiou o Ministério Público é morto por pistoleiros em Varjota
"Manuel do Lixo" foi morto com vários tiros na cabeça na noite de ontem, em Varjota
"Manuel do Lixo" foi eliminado numa suposta "queima der arquivo"
Por : Fernando Ribeiro
22/10/20 9:48

Um crime com características de pistolagem foi registrado na noite desta quarta-feira (21), na cidade de Varjota, na Região Norte do estado (a 297Km de Fortaleza). A vítima foi o empresário do ramo de limpeza urbana Manoel Barros, conhecido como “Manoel do Lixo”.  Ele foi morto com vários tiros na cabeça, o que caracteriza uma execução sumária. A Polícia já investiga o caso com a suspeita  de “queima de arquivo” ou crime político.  

De acordo com as primeiras informações colhidas pela Polícia, “Manoel do Lixo” foi executado por pistoleiros na Avenida Presidente Castello Branco, no Centro da cidade de Varjota. O empresário havia assistido ao jogo final do Campeonato Cearense de Futebol e, em seguida, se deslocou a um ponto de venda de churrasquinhos na avenida, quando foi atacado pelos atiradores e executado sumariamente.

Declarações

“Manoel do Lixo” era natural do Município de Crateús,  porém,  há cerca de 10 anos morava na cidade de Varjota, onde era ligado politicamente ao grupo da prefeita Célia Rodrigues. Recentemente, o empresário havia se tornado notícia na imprensa cearense por conta de uma polêmica declaração. Ele ter gravou áudios no WhatsApp,  onde dizia que não atendia  à intimação do Ministério Público.  Posteriormente, ele se retratou nas redes sociais e pediu desculpas pelas declarações ofensivas à instituição.

Declaração sobre Ministério Público
Áudio retratação

Ferido a tiros, o empresário chegou a ser socorrido, sendo encaminhado ao Hospital Municipal de  Varjota, mas logo a equipe médica de plantão constatou  o óbito. O corpo de Manoel foi encaminhado ao Núcleo da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) da cidade de Sobral, onde será necropsiado na manhã desta quinta-feira (22).

LINKS PATROCINADOS