Hidrogenio verde e o combustivel do futuro
eusebio junino

Elmano assina memorando com Banco Mundial para desenvolvimento de H2V

Assinatura ocorreu durante reunião do Consórcio Nordeste

(Foto: Carlos Gibaja/Casa Civil)

25/09/23 16:57

O governador Elmano de Freitas assinou, ao lado de outros governadores do Nordeste, na manhã desta segunda-feira (25), em Brasília, um Memorando de Entendimento para estimular o desenvolvimento da cadeia do Hidrogênio Verde (H2V) na região. A iniciativa pretende consolidar o Nordeste como um polo mundial da economia verde. A cooperação foi celebrada na reunião do Consórcio Nordeste, com a presença do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira.

Participe do grupo do CN7 no WhatsApp

A cooperação estabelece as seguintes ações: desenvolver mecanismos financeiros que permitam futuros projetos relacionados com hidrogênio de baixo teor de carbono e à preservação do bioma Caatinga; explorar eventuais oportunidades de projetos de energia solar, água e saneamento; e promover a troca de experiências, conhecimentos e financiamento de infraestrutura pública digital para a expansão da conectividade, o desenvolvimento de plataformas digitais, melhores práticas em segurança cibernética e fomentar o desenvolvimento de habilidades digitais.

“O memorando de hoje é para aproveitarmos a experiência do Banco Mundial e aplicar em nosso projeto de desenvolvimento para o Hidrogênio Verde no Ceará, para colhermos as experiências que o Banco tem em outros lugares do mundo”, destacou Elmano de Freitas.

Ainda de acordo com o chefe do Executivo cearense, o Estado está avançando na implementação do Hub de Hidrogênio Verde no Complexo Industrial e Portuário do Pecém. O Ceará conta, atualmente, com um financiamento do Banco Mundial, no valor de R$ 600 milhões, para modernização do Porto do Pecém.

Durante a reunião do Consórcio Nordeste, também estiveram na pauta os leilões de linhas de transmissão e a prorrogação de benefícios tributários de investidores na economia verde. “Só no Ceará estamos falando de mais de R$ 10 bilhões que precisam dessas decisões do Governo Federal para a formação de parques eólicos e parques solares. Por isso, a importância do diálogo com o Governo Federal, por meio do ministro Alexandre [Silveira], de Minas e Energia”, finalizou.

Inscreva-se no canal do CN7 no Telegram

Confira fotos:

LINKS PATROCINADOS