Sete dias por semana sem medo da notícia!
Deputado federal Heitor Freire cobra resposta sobre atraso de salários
Heitor Freire
Ouça a matéria

A pandemia de Coronavírus trouxe, de maneira repentina, um novo e desafiador cenário para a saúde e economia brasileiras. Desde então, os esforços do Poder Público têm se concentrado em minimizar os impactos gerados pela disseminação do vírus. Pelo menos na teoria. Na prática, a cada dia surgem novas denúncias sobre mau uso do dinheiro proveniente de verbas públicas e as investigações estouram em todo o Brasil.

Em Fortaleza, estão circulando vídeos na internet mostrando os trabalhadores de alguns hospitais que estão na linha de frente do combate à Covid-19 fazendo cobranças ao Governo do Estado para que ele pague os salários atrasados. Em um dos vídeos, o profissional fala que não há mais dinheiro nem para as passagens de transporte público. Outra denúncia dos profissionais diz respeito ao não recebimento das verbas remuneratórias (bônus de enfrentamento a pandemia que havia sido prometido) por enfermeiros e técnicos de enfermagem cooperados do Hospital Infantil Albert Sabin.

O deputado federal Heitor Freire (PSL/CE), sensível à questão, enviou ofício para o Secretário de Saúde do Estado, Dr. Cabeto, a fim de receber respostas para essas denúncias. O parlamentar também usou suas redes sociais para cobrar respostas ao governador Camilo Santana.

“É o cúmulo do absurdo a gente receber informações no nosso gabinete sobre atraso de salário e outras remunerações justamente para os profissionais de saúde, os mesmos que estão arriscando sua saúde e suas vidas para salvar as pessoas. É inadmissível que o Governo tenha recebido verbas federais e não tenha repassado para o pagamento dos trabalhadores. Por isso eu pedi ao Dr. Cabeto e ao Camilo Santana uma resposta para a sociedade. Quero que essa denúncia seja averiguada e esse atraso corrigido o mais depressa possível. Isso é o mínimo que podemos fazer por esses profissionais”, ressalta.

O parlamentar é autor do Projeto de Lei 830/2020, que garante grau máximo ao adicional de insalubridade aos profissionais da saúde que atuam na linha de frente de combate a endemias, além de agentes de vigilância sanitária, de limpeza urbana e de segurança pública. Freire também votou contra a suspensão dos reajustes salariais dessas categorias na Câmara dos Deputados.

O Governo do Estado ainda não se manifestou sobre as denúncias.

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também