Sete dias por semana sem medo da notícia!
Cid acredita que aprovar condenação em 2ª instância no Congresso é arapuca
Cid Gomes - Foto: Roque de Sá/Agência Senado
Ouça a matéria

O senador Cid Gomes (PDT-CE) critica a discussão sobre a possibilidade de prisão em segunda instância dos réus condenados neste momento no Congresso. Acha que o assunto está sendo tratado apenas por causa da liberação do ex-presidente Lula. A informação é do colunista Tales Faria, do UOL.

Cid, por isso, não faz uma defesa ardorosa, nem contra nem a favor da proposta.

Na verdade Cid está desconfiado. Diz que “fala-se à boca pequena de uma arapuca” que os políticos armaram para o projeto no Congresso.

“Sou contra tratar o trânsito em julgado em torno de um personagem, seja ele quem for”, disse ao colunista em vídeo.

O senador propõe “uma varredura” no Código Penal e no Código de Processo Penal para estabelecer, caso a caso, quando a pena deve ser cumprida.

“No caso de assassinatos julgados por tribunal de juri, defendo a prisão já na primeiraª instância. Em outros casos, acho razoável a penalização após condenação em segunda instância. Há casos até que deva ser na terceira ou na quarta instância”, afirma.

Arapuca

Simples assim: um acordo dos líderes de vários partidos barrou o projeto do Senado em favor do texto que está tramitando na Câmara. E este, por sua vez, amplia a possibilidade de cumprimento da pena para casos criminais, cíveis e trabalhistas.

Os empresários e banqueiros, por exemplo, terão que pagar suas multas e indenizações, inclusive trabalhistas, assim que forem condenados em segunda instância.

“Muita gente deixa de pagar graças a recursos intermináveis na Justiça”, explica Cid.

Com isso, aqueles que são contrários à proposta de prisão em segunda instância passarão a ganhar ajuda de amplos e poderosos lobbies no Congresso para derrubar o projeto.

“Muita gente defende o cumprimento da pena na condenação em segunda instância quando é para os outros. Quando pode ser para eles, vão pensar duas vezes. Isso vai fazer muito banqueiro ficar de orelha em pé.”, explica Cid.

Confira vídeo

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também