X
Sete dias por semana sem medo da notícia!
Donizete Arruda
Jornalista
Alienígenas invadem o Cariri

Calma! Os ETs que estão invadindo o Cariri são políticos sem nenhum vínculo com a região sul do Ceará. Mesmo assim, essa turma esperta e com os bolsos cheios quer comprar votos e fazer demagogia.

Lamentável é o comportamento da população que se deixa iludir, acreditando em falsas promessas. Passadas as eleições, vem o mundo real: sofrimento com a ausência de deputados que lutem por recursos e benefícios para os municípios do Cariri.

Mas, quem compra voto e paga, não tem nenhum compromisso posterior. Triste constatar que eleitores se transformaram em “galegos”, vendem seus votos esquecendo o dia de amanhã. Daí, ficam a se lamuriar porque não tem saúde, segurança e emprego. Resumindo: tem que aceitar que o seu preço é uma ninharia. O eleitor galego vale R$200.

Escândalo de pedofilia em Barbalha

O Ministério Público do Ceará deu entrada e conseguirá, nos próximos dias, a prisão de um dos vereadores da Câmara Municipal de Barbalha. Esse parlamentar será preso sob a acusação de ter estuprado uma criança de dois anos.

É um vereador monstro e culpado, sabe que seu destino será mofar na cadeia por crime de pedofilia. Não há chances de escapar por ter proteção política. As provas são irrefutáveis e revelam como bandidos estão se elegendo, numa tentativa de ficarem impunes.

Esse caso de pedofilia será diferente. Nem o Governador Camilo Santana nem o prefeito Argemiro Sampaio vão se envolver, dependendo a qual grupo esse vereador pedófilo esteja envolvido.

Fernando adere à campanha de Eunício

O candidato a deputado estadual Fernando Santana anunciou seu apoio à reeleição do senador Eunício Oliveira. Fernando discursou pedindo votos para Eunício durante comício no conjunto Minha Casa Minha Vida, em Barbalha. Fernando não havia entrado na guerra por votos para Eunício para resolver problemas internos de sua militância.

Havia atritos a serem superados, motivados pela última eleição municipal, quando Eunício apoiou o atual prefeito de Barbalha, o tucano Argemiro Sampaio. Fernando reconheceu o esforço de Eunício para liberar verbas que ajudam ao Ceará e pediu o esforço de todos para garantir à reeleição de Eunício.

Dr. Leitão tem a campanha mais rica

O candidato a deputado estadual Dr. Leitão Moura, sogro do ex-governador Cid Gomes, está surpreendendo pelo enorme volume de ativistas e atividades grandiosas diariamente. Tem a campanha mais cara do Cariri.

Conta com o respaldo financeiro do genro Cid e ganhou outro impulso especial: fechou aliança com Totonho Lopes, conhecido por Totonho Sheik, candidato a deputado federal. Cunhado de um Sheik Árabe, Totonho tem segunda campanha mais milionária do Ceará.

Para fechar com Totonho, Dr. Leitão abandonou o compromisso que tinha com o colega de partido Tomaz Holanda. O acordo foi feito para garantir sua entrada no PPS, fugindo da legenda do PDT. Para um intermediário de Tomaz, Dr. Leitão alegou questões pessoais para a troca. Totonho fechou um entendimento para tirar 10 mil votos no Crato. Cada voto, a R$200.

Ciro em um dia de ataque de fúria

O naufrágio da passagem de Ciro pelo Cariri acabou sobrando para o deputado André Figueiredo. Em mais um de seus ataques de loucura, Ciro descarregou ressentimento no principal aliado. Responsabilizou André pelo insucesso dos dois eventos. Disse que André teria que ter garantido público.

E para ter gente, deveria ter imposto às lideranças da região mais engajamento, sob pena de sofrerem retaliação dos irmãos Ferreira Gomes. Ciro criticou André na frente do presidente nacional do partido, Carlos Lupi, em cenas constrangedoras.

A cobrança foi feita durante a viagem para a Paraíba, para não ter testemunhas. Ciro evitou fazer qualquer cobrança aos prefeitos de Crato e Juazeiro, por medo de um abandono de sua candidatura. André pagou o pato e aceitou calado.

Os verdadeiros salvadores da pátria

O vexame da agenda de Ciro não foi maior graças ao empenho de algumas lideranças. Em Juazeiro do Norte, o prefeito Arnon Bezerra e o ex-prefeito
Raimundo Macedo, acabaram ‘salvando a pátria’. Evitaram que a vergonha de Ciro fosse maior. Os dois garantiram o pouco público que permaneceu na carreata de Juazeiro.

Além de militantes, Raimundão e Arnon garantiram a charanga e os carros que acompanharam o presidenciável pelas ruas da cidade até o fim. Em Crato, a incumbência foi do prefeito Zé Ailton Brasil e do candidato a deputado estadual Dr. Leitão. Apesar do esforço, o nome de Ciro não atraiu muita gente. E a resistência a sua candidatura ficou transparente.

O fracasso foi tão expressivo que Ciro foi forçado a cancelar o comício que seria realizado na encosta do Seminário. Não tinha público.

Ciro sai rejeitado pelo Cariri

Ciro Gomes passou por um grande constrangimento no último fim de semana. Sua agenda de campanha no Cariri, mais especificamente em Juazeiro do Norte e Crato, foi um fiasco. Nem a Romaria de Nossa Senhora das Dores, que acontece em Juazeiro do Norte desde o dia 1º, foi capaz de salvar a carreata de Ciro que passou pela Praça Padre Cícero com algo em torno de 50 carros e motos.

Os quase 200 veículos que deixaram o Aeroporto atrás de Ciro foram ficando pelo caminho e a carreata teve um desfecho melancólico. A estratégia de repercutir a campanha em todo Nordeste, aproveitando os cerca de 300 mil romeiros que visitam Juazeiro, acabou em pesadelo. Os romeiros levarão a mensagem de que Ciro não tem as bênçãos da terra do Padre Cícero.

A notícia tende a se espalhar por todo o Nordeste. Essa constatação terá um efeito multiplicador desastroso para os objetivos de Ciro obter votos junto aos nordestinos.

Cariri sinaliza caminho que irá adotar

A insossa corrida presidencial mudou de tom com o atentado ao candidato do PSL. Os ânimos afloraram e o foi possível identificar o rumo que pretende seguir nas urnas de outubro. No Cariri e, provavelmente no Ceará, está em curso uma mudança de comportamento eleitoral.

O favoritismo da candidatura de Ciro Gomes diminui a cada dia. Sobram Lula e a sua substituição por Fernando Haddad, e o nome de Jair Bolsonaro. Haddad tem dois padrinhos fortes na região: o governador Camilo Santana e Lula. Tem todas as condições de crescer.

Bolsonaro se vitimizou com a agressão que sofreu e o risco de vida que vem enfrentando. Já Ciro não consegue empolgar nem mesmo colando sua imagem a do irmão Cid Gomes.

Democracia ameaçada no Brasil

O atentado ao candidato Jair Bolsonaro deve ser repudiado por todos os brasileiros. A agressão não foi a um postulante com ideologia de direita. O ataque foi a democracia em nosso País.

Diferente de muitos que se autoproclamam defensores da liberdade, mas foram para as redes sociais questionar a legitimidade da facada sofrida por Bolsonaro, o povo brasileiro – em sua ampla maioria – está consciente de que a nação exige mudanças e cobra o fim dessa violência tão presente nas ruas de todas as cidades.

Bolsonaro ainda luta por sua vida. Já foi submetido a uma segunda cirurgia, desmoralizando as teorias conspiratórias de que tudo não passara de uma jogada de marketing para conseguir votos. Essa turma precisa aprender com o povo e ser banida da vida pública. O Brasil não abre mão de sua democracia.

Ciro se transforma em biruta de aeroporto

Dá pena o comportamento do presidenciável cearense Ciro Gomes. Todo dia muda de ideia e suas propostas são readequadas diante de tantas resistências na mídia e nas redes sociais.

Ao iniciar a propaganda eleitoral gratuita, Ciro não teve vergonha de copiar o slogan do deputado estadual Heitor Ferrer a prefeito: “Um prefeito para chamar de seu”, que virou “Um presidente para chamar de seu”. Cópia descarada. Se esse erro de marketing não bastasse, Ciro resolveu focar seu discurso em ataques ao PT e ao PSDB.

Sua meta é desconstruir Lula e Fernando Haddad e o candidato tucano Geraldo Alckmin. Deixou de lado a troca de insultos com o candidato Jair Bolsonaro, pois todos os institutos dizem que ele está no segundo turno. Ciro, então, quer tomar a vaga do PT ou do PSDB. Uma tarefa nada fácil.

Irmão de prefeito se prepara para assumir

Na Procuradoria Geral da República há duas convicções, tanto em Brasília quanto em Fortaleza. A primeira: Cid Gomes é favorito para ser eleito como o senador mais votado do Ceará. A segunda: pode demorar até dois anos, mas é improvável que Cid escape de uma condenação que não seja a cadeia e a perca de seu mandato de senador.

Cid sabe disso e era por essa razão que não queria concorrer a um mandato. O foro privilegiado hoje não garante proteção aos políticos que se envolveram em corrupção sintomaticamente.

Ciente dessa dificuldade, o irmão do prefeito de Fortaleza, Prisco Bezerra, empresário milionário, pode se preparar, pois herdará pelo menos seis anos de mandato de senador em Brasília. Cid tentará, de todas as maneiras, adiar seu julgamento e sua condenação. Porém, as provas são irrefutáveis.

Ciro Gomes recebeu propina da JBS

Hoje, o Ibope divulga mais uma rodada de pesquisa presidencial. Na quarta, é a vez do instituto DataFolha. Setembro avança e a candidatura de Ciro Gomes não cresce. Está igual a rabo de cavalo. Esta semana, a revista Veja traz uma longa reportagem onde choca o Brasil, o Ceará e em especial o povo do Cariri, com a denúncia de que não foi apenas Cid Gomes a receber propina da JBS.

O próprio Ciro Gomes está envolvido nesse escândalo investigado pela Operação Lava Jato. O inquérito está em fase avançada de apuração no Ministério Público Federal, em Fortaleza. O presidente da JBS, Joesley Batista, e seu irmão Wesley Batista, confirmaram o pagamento da propina.

A Veja ampliou o caso e trouxe novas denúncias. Mais empresas, além das JBS, pagaram propina a Oligarquia Ferreira Gomes.

Zé Ailton reúne aliados e prega aviso

Zé Ailton Brasil reuniu sua base de apoio para comunicar: precisa de votos para seus candidatos. Quer apoio total aos seus candidatos para garantir o futuro da sua administração. No encontro, definido por Zé Ailton como “uma conversa de amigos para o bem do Crato”, foram apresentadas as candidaturas de Fernando Santana para estadual, José Guimarães e André Figueiredo a federal, além de Cid e Eunício ao Senado.

Na companhia do seu vice, André Barreto, do presidente da Câmara, Florisval Coriolano, e mais nove vereadores, o prefeito pediu que todos trabalhassem 24 horas por dia, durante todo o mês de setembro e até o dia das eleições em outubro. Também responsabilizou cada um pelo sucesso. A conversa surtiu efeito: a base saiu unida para a campanha.

Zé Ailton e Arnon entram na briga

Os prefeitos do Crato e Juazeiro do Norte, Zé Ailton Brasil e Arnon Bezerra, também deram seus recados duros sobre a importância do retorno de Eunício Oliveira ao Senado e à presidência do Congresso.

Atendendo ao pedido de Camilo, os dois usaram as redes sociais e, por meio de vídeos, garantiram apoio e voto em Eunício. Zé Ailton destacou a união entre Eunício e Camilo, para que obras importantes para o Crato não parassem. Além dos recursos para obras, Arnon foi claro ao afirmar que a parceria entre Camilo e Eunício está melhorando a vida de todos no Ceará.

A cobrança de Camilo – pelo engajamento de todos a favor da reeleição de Eunício – parece estar bem entendida. As principais lideranças do Cariri estão se contrapondo a traição de Ciro e André Figueiredo. Resta, agora, a segunda fase dessa articulação. Camilo prepara pesquisa para saber até que ponto o empenho está resolvendo e alavancando votos para Eunício. É questão de honra para Camilo derrotar André e Ciro.

Camilo quer o apoio de Eunício nas ruas

Para evitar a onda contra Eunício na base do seu governo, Camilo Santana tratou demostrar a sua força. Convocou candidatos, deputados, prefeitos e lideranças para garantir o apoio nas redes sociais. O deputado Manoel Santana (PT) foi um dos primeiros a partir na defesa de Eunício Oliveira.

Dr. Santana declarou apoio à reeleição de Eunício, lembrando o esforço do presidente do Congresso para manter o Ceará fora da crise, ao conseguir a liberação de bilhões de reais junto ao Governo Federal. Numa relação mais local com o Cariri, Dr. Santana disse que Eunício é um dos articuladores
para a manutenção do Programa Minha Casa, Minha Vida.

Ainda justificou que Eunício tem defendido uma vida digna para os brasileiros e, além de tudo, tem sido uma voz na defesa do ex-presidente Lula.

Campanha contra Eunício preocupa Camilo

Com o início da campanha eleitoral, o PDT ligado ao deputado federal André Figueiredo e ao presidenciável Ciro Gomes, intensificou as articulações contra o senador Eunício Oliveira. A traição ao candidato do governador Camilo Santana é fato no Cariri. O voto em um candidato fora do arco da aliança endossada por Camilo e Cid Gomes é uma realidade. No Cariri, o racha na base do governador Camilo é visível.

Esse cenário preocupa Camilo. A fissura aberta por André e Ciro começa a ganhar força e atinge os candidatos a deputados estaduais, lideranças e vereadores pedetistas na região. A vereadora juazeirense e candidata a deputada estadual, Jacqueline Gouveia, foi ao extremo na última semana e se recusou a gravar a propaganda eleitoral para não ter que pedir votos para Eunício. Camilo entrou em campo para resolver esse imbróglio.

Dr. Leitão espera decolar com reforço de Cid

A campanha do promotor aposentado Leitão Moura, candidato a deputado estadual, recebeu a visita do seu genro, Cid Gomes, na sexta-feira (24). Depois de inaugurar o comitê de Leitão, Cid participou de um adesivaço pelas ruas do Crato. A atividade foi uma resposta aos eleitores de Leitão, que desconfiavam que Cid estivesse efetivamente apoiando a sua candidatura.

Apesar da aproximação familiar, Cid e Leitão se trataram como aliados políticos. Cid garantiu que não estava ali motivado pela aproximação familiar. “Estou pedindo voto porque sei que o Dr. Leitão vai elevar a representação do Cariri na Assembleia”, dizia Cid ao lado da esposa, Maria Célia.

Pela primeira vez em uma disputa eleitoral, Leitão espera uma boa votação na cidade do Crato, sua principal base eleitoral. E Cid articula colégios em outros municípios que o elejam sem maiores dificuldades.

Giovanni cedeu aos apelos de Camilo

O vice-prefeito de Juazeiro do Norte, Giovanni Sampaio, anunciou sua desistência da disputa na semana passada. Giovanni, que havia garantido – em coletiva de imprensa – que permaneceria candidato, após uma reunião com o governador Camilo, não resistiu ao pedido pessoal do amigo e saiu da disputa.

No mesmo instante, em mais uma prova de sua fidelidade a Camilo, anunciou apoio a Fernando Santana. Junto com Giovanni, o prefeito de Jardim, Aniziário Costa, e sua base de vereadores na Câmara declararam apoio a Fernando. Para deputado federal, Giovanni vai apoiar o candidato Pedro Bezerra (PTB), filho do prefeito Arnon Bezerra (PTB).

Risco de André perder reeleição existe

A fidelidade de André Figueiredo a Ciro Gomes, para manter e promover a tensão entre PDT e o Abolição, ameaça até atrapalhar sua reeleição à Câmara Federal. O Governador não aceitará passivamente essa traição. Ao seu estilo, dará o troco. Não foi coincidência, na inauguração do comitê de André no Crato, a ausência das principais lideranças políticas do Cariri e do Ceará.

Nessa sua queda de braço, André tem perdido espaços para Idilvan Alencar e José Guimarães, candidatos do Governo. Apesar de atropelado, André não sinaliza que irá recuar. Esse gesto está sendo considerado equivocado por seus mais próximos aliados.

Aumenta crise entre André e o Abolição

É inexplicável o comportamento do presidente regional do PDT, deputado federal André Figueiredo. Quando tudo parecia resolvido, André criou uma crise interna entre PT e PDT. Verdadeiramente, entre o Abolição e o PDT. André Figueiredo autorizou sua assessoria no Cariri a espalhar que, em hipótese alguma, votará na reeleição do senador Eunício Oliveira (MDB).

Como a querer barganhar com o governador Camilo, elevou a pressão. Ameaçou, através de sua assessoria, que o seu segundo voto de senador será dado ao candidato do Pros. Um golpe no acordo de Camilo com o MDB, que trabalha arduamente para reeleger Eunício Oliveira. Camilo recebeu essa informação como uma declaração de guerra.

Cid Gomes quer ser senador por dois anos

O projeto político de Cid Gomes é se eleger senador agora e, em 2020, ser o substituto de Roberto Cláudio na prefeitura de Fortaleza. Não pretende retornar ao Abolição, na vaga de Camilo Santana.

Este lugar está reservado para seu irmão Ivo Gomes, que deixaria à prefeitura de Sobral para ser o terceiro membro da oligarquia Ferreira Gomes a ocupar o Governo do Ceará desde 1990.

Os FGs acreditam que este ano enterram a liderança de Tasso Jereissati, e destruirão toda oposição, deixando o caminho aberto ao projeto de mandar no Estado por mais 50 anos. Quem herdará a vaga de senador de Cid será o irmão do prefeito Roberto Cláudio, empresário Prisco Bezerra.

Ciro Gomes não segura a língua dele

Em queda livre nas pesquisas, sem candidato competitivo aos governos dos principais colégios eleitorais – São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais -, Ciro Gomes avança a cada dia para recuar ao seu estágio conhecido: um candidato limitado as fronteiras do Ceará.

Ciro não tem força eleitoral no Sudeste e Sul, desaparece no Norte e Centro Oeste, e na sua região preferida, o Nordeste, leva uma surra de votos de Lula. Não bastasse isso. Ciro concedeu uma entrevista ao jornal da Espanha, El Pais, onde acusou que 70% dos novos policiais militares do Ceará são frouxos.

Confessou que eles têm horror a pegar num revólver para enfrentar uma confusão. Essa declaração provocou uma reação de revolta nos quadros da Polícia Militar.

Quem não quer que seja elucidado

Se indagar do delegado Giovani Aquino se ele está à vontade nos prazos para apontar o(s) mandante(s) e os pistoleiros do assassinato do empresário Francisco Francisco, é inegável que ele dirá: evidente. “Tenho todo apoio e a verdade será mostrada muito em breve”. Hábil, Giovani Aquino não quer criar mais problemas para a sua tarefa, que não é simples, pois “envolve interesses poderosos trabalhando contra a elucidação dos autores do assassinato”. Dito isso, todo o Cariri fica a se indagar: quem deteria força política para embaralhar uma investigação acompanhada com tanta atenção pela população caririense? A resposta está na ponta da língua de todos.

Mão poderosa atua para segurar inquérito

Jamais o delegado Giovani Aquino admitirá. Sério e competente, o policial civil tem feito seu trabalho em meio a pressões para seguir pistas falsas, visando passar à margem dos verdadeiros culpados. São conselhos velados. Não há ameaças ao delegado, pois esse não aceitaria essa atitude de ninguém. Reagiria com vigor.

No entanto, o inquérito que investiga o assassinato de Francisco não anda. Está quase parado. Lento, leva euforia a setores da sociedade caririense, que apregoa serem responsáveis por essa pressão junto ao secretário de Segurança Pública, André Costa, que por sua vez pressiona o delegado geral da Polícia Civil, Everardo Lima, e numa cadeia de tutela, chega ao delegado Giovani Aquino.

As ordens expressas são óbvias demais: prenda os responsáveis pelo assassinato do empresário, mas não ouça às ruas. Faça um trabalho científico de provas e ao final é preciso que o Poder Judiciário respalde suas apurações. Cuidado em não envolver inocentes. É assim: palavreado bonito para dizer: engavete esse inquérito. Delegado Giovani não fará isso, contudo precisa andar com cuidado, pois está num campo minado.

Assassinato de Francisco sem mistério

O governador Camilo Santana exigiu que o assassinato do empresário do ramo imobiliário, Francisco Pereira, fosse solucionado até o final de julho. O crime ocorreu no dia 14. O prazo está acabando e o delegado Giovani Aquino, oficialmente, não resolveu a execução desse personagem importante da sociedade do Juazeiro do Norte.

Contudo, a verdade que não foi contada ao Abolição é outra: o delegado Giovani Aquino já identificou os três pistoleiros envolvidos na execução, como também o(s) mandante(s) do assassinato. Também se sabe a causa: tomar de assalto a terra que um dia Francisco Pereira comprou da Igreja, e com a chegada do bispo Dom Fernando Panico, a Diocese do Crato resolveu retomar na marra.

Desse modo, a morte de Francisco é um inquérito resolvido. Estranha-se que o delegado Giovani Aquino esteja demorando para decretar a prisão de todos os envolvidos.

Publicidade