Sete dias por semana sem medo da notícia!
Camilo Santana determina limpeza de todos afilhados políticos de Cid Gomes no Cariri
Último demitido foi sogro do senador, Leitão Moura, afastado da direção da Expocrato
Cid Gomes e Camilo Santana

O governador Camilo Santana assumiu o comando das instituições do Estado no Cariri. Ele Promoveu uma limpeza contra as indicações dos FGs na região, na largada do seu segundo mandato. O recente episódio que derrubou o promotor aposentado e sogro de Cid Gomes, Leitão Moura, da direção da Expocrato foi a última demissão de uma série que começou meses atrás.

A ordem de Camilo é simples: não quer nenhum apadrinhado de Cid e Ciro nas esferas do Governo, na sua principal área de influência política. Para executar a tarefa, foram encarregados o PT estadual e Fernando Santana. As trocas foram feitas e o recado dado foi claro: quem manda no Cariri é o Governador.

O próximo passo de Camilo, para avançar a sua liderança, será direcionado aos prefeitos. Irá convocá-los para um tête-à-tête, para saber quem é fiel a ele e quem fica com os FGs numa briga improvável. Camilo apenas deseja medir o grau de lealdade dos prefeitos ao Abolição. A sucessão de 2022 está aberta e Camilo não pretende ficar fora do jogo eleitoral. Quer protagonismo.

Em tempo

Os gestos adotados pela administração Camilo tem provocado ira no senador Cid Gomes. Porém, seu estilo não permite reações abruptas. Prefere o silêncio e aguardar o momento oportuno de reagir e dar o troco. O Governador se movimenta com muita pressa para viabilizar sua candidatura ao Senado em 2022.

Essa é a avaliação de Cid. Ciro Gomes tem se dedicado ao seu projeto presidencial. Cid está a cada dia mais próximo do senador Tasso Jereissati e seu desejo é apoiar a sua reeleição em detrimento do objetivo de Camilo. Como esse impasse será resolvido, só o tempo dirá.

Hoje, Camilo não se mostra disposto a desistir de uma candidatura a senador. No entanto, precisa eleger seu sucessor, indicando Izolda Cela para o TCE. Uma missão complicada, pois a Assembleia está dividida entre ele e os FGs. Esse conflito sem áudio entre Camilo e Cid irá persistir até abril de 2022, com disputas para medir força nos próximos anos.

Confira essa e outras notícias na coluna Rebate, com Donizete Arruda, no Jornal do Cariri

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também