Camilo ressuscita Cid Gomes para assegurar sua reeleição ao Senado

06/02/24 9:11

O PSB do Ceará filiou 37 prefeitos e o senador Cid Gomes, no domingo (05). O desprestígio de Cid Gomes, junto à classe política cearense, é tão crescente, que apenas três dos 37 prefeitos ingressaram no PSB pelas mãos do ex-todo poderoso membro da oligarquia Ferreira Gomes. Ressalte-se que um dos três prefeitos é seu irmão, prefeito de Sobral, Ivo Gomes. Todos os outros 34 entraram no PSB a pedido do ministro da Educação, Camilo Santana. Mesmo ciente de estar pequeno, Cid Gomes age como estivesse nos velhos tempos, onde dava as cartas. Não dá mais. Hoje, quem é o maior líder político cearense é Camilo. Não querendo desagradar a Camilo, por temer ser enxotado, Cid bajulou Camilo em seu discurso de entrada no PSB. Disse que Camilo é o governador do Ceará. Cid não esconder ser hoje um liderado de Camilo. Está pronto para defender Camilo e atacar seu ex-líder e irmão, Ciro Gomes. Esse é o preço que pagará para conseguir disputar novamente uma vaga ao Senado, na chapa do governador Elmano de Freitas. Mas, não desprezem a capacidade de jogar de Cid Gomes. Mal voltou aos palcos, e já pôs fogo no Abolição. Criticou o PT, por querer ter o Governo do Ceará, a presidência da Alece e emplacar o novo prefeito de Fortaleza. Mesmo sem forças e sendo apenas uma sombra do prestígio de Camilo, Cid Gomes, que assumirá a liderança do PSB no Senado, por interferência de Camilo junto ao vice-presidente Geraldo Alckmin, trabalha de novo para arrancar do controle do governador Elmano, a indicação do substituto de Evandro Leitão. Não esconde seu candidato: deputado Salmito Filho, apesar de ser simpático a Guilherme Landim, se Camilo e Elmano quiserem um deputado do Cariri. E ainda tem Sérgio Aguiar. A questão é que Guilherme e Sérgio nem votaram em Elmano. Sobrou Salmito Filho. Mas nem o PT, nem o Abolição, nem o Planalto, querem Cid Gomes com muito protagonismo. No máximo, Camilo apoia sua candidatura à reeleição a senador. E já é muito, para quem não tem mais influência eleitoral no Ceará.

Nova composição partidária de prefeitos

O novo desenho do quadro partidário dos prefeitos do Cariri só estará concluído no final de março, mas, mesmo hoje, é possível cravar que a maioria dos 29 prefeitos vão se dividir entre o PT do governador Elmano e ministro Camilo Santana, e o PSB, do senador Cid Gomes. O PDT está mesmo ameaçado de desaparecer do Cariri. Certo mesmo, por enquanto, tem a continuidade do prefeito Antônio Filho, de Antonina do Norte. E uma dúvida: o prefeito Glêdson Bezerra tem a palavra da presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, que terá partido para concorrer à reeleição. Agora, se o presidente estadual, prefeito Bismark Mais, criar dificuldades a uma nova candidatura de Glêdson, ele já tem convite do presidente nacional André Figueiredo, para se filiar ao PDT. Seria uma vitória do PDT no Cariri, após a debandada do domingo, quando seis prefeitos trocaram o pedetismo pelo PSB.

Quem mudou de lado seguindo passos de Cid

A lista dos seis prefeitos que trocaram o PDT pelo PSB, no domingo (05), foi liderada pela prefeita de Brejo Santo, Gislaine Landim, mãe do líder do PDT na Assembleia, Guilherme Landim. Os outros cinco prefeitos foram das cidades de Missão Velha, Penaforte, Assaré, Salitre e Caririaçu. O levantamento completo era apontar o PSB com mais de 12 prefeitos no Cariri. O PT é, hoje, o maior partido da região, pois tem em seus quadros os prefeitos de Barbalha, Guilherme Saraiva, e do Crato, Zé Ailton Brasil. A indefinição do rumo partidário do prefeito de Juazeiro do Norte, Glêdson Bezerra, deve se resolver depois do carnaval, em uma reunião em Brasília, entre presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, com presidente estadual Bismark Mais, e o prefeito Glêdson. Quando Cid Gomes negociou assumir, via Bismark, o Podemos no Ceará, assumiu compromisso de apoiar um novo mandato para o prefeito Glêdson. Os acontecimentos eleitorais impedem, hoje, de Cid Gomes manter esse apoio a Glêdson, pois deve votar e trabalhar a favor da candidatura do deputado Fernando Santana, do PT. Nome a ser lançado pelo ministro Camilo. Se Glêdson não sentir firmeza, deixa o Podemos e pode se filiar ao PDT, ou ao PSDB, ou ao NOVO, ou até mesmo ao União Brasil.

Yury atrai lideranças para casa no fim de semana

Chamou a atenção o grande número de lideranças políticas da região do Cariri, que tem procurado o deputado federal Yury do Paredão (MDB). Entre os dias mais concorridos, no sábado, Yury recebeu nomes como o deputado estadual Fernando Santana, o prefeito de Milagres, Cícero Figueiredo, e o presidente da Câmara do Crato, Florisval Coriolano. Também estiveram com Yury, os vereadores juazeirenses, Claudionor Mota e Jaqueline Gouveia. Não parou por aí: mais lideranças de Assaré, Aurora e Abaiara deram o ar da graça para se reunirem com Yury. Em Juazeiro, essa movimentação provocou suspeitas que Yury possa vir a lançar a sua pré-candidatura, nem que seja como um teste de popularidade nas pesquisas. Prudente, Yury avalia não ser a hora e continua fazendo a defesa da candidatura de Fernando Santana, como nome da base governista. Em Brasília, Yury tem conversado bastante com o ministro Camilo Santana.

Pedro Lobo desafia PT e mantém candidatura no Crato

O vereador Pedro Lobo (PT) está disposto a continuar desafiando a direção estadual do PT do Ceará. Declarou querer ser candidato a prefeito do Crato, a qualquer custo. Não aceita interferência no PT cearense contra sua candidatura. E nem se incomoda de ser chamado de traidor até por seu padrinho político, José Guimarães. No dia 31 de janeiro, Pedro usou as redes sociais para reafirmar a sua pré-candidatura e, na postagem, disse que continuava com o nome à disposição para ajudar a “construir um futuro melhor para todos os cidadãos cretenses”. Tudo isso após os presidentes, estadual e municipal do PT, assinarem uma nota conjunta confirmando que a escolha do candidato será dos diretórios e do prefeito Zé Ailton Brasil. Em novo enfrentamento, no sábado (03), Pedro Lobo foi ao Estádio Romeirão, onde se sentou ao lado de dois dos principais opositores do prefeito Zé Ailton e do ministro Camilo Santana, o médico bolsonarista Aloísio Brasil e o ex-vice-prefeito Raimundo Filho. Para justificar a série de encontros com opositores, Pedro cita o presidente Lula: “temos que conversar com todos. O adversário de hoje, pode ser o aliado de amanhã”. Esse discurso não convenceu nem Zé Ailton nem Camilo. Muito menos, Guimarães.

Zé Ailton volta de férias e articula base unificada

Após férias de 15 dias, o prefeito Zé Ailton Brasil encontrou um cenário de guerra na base governista no Crato. Depois de ser acusado de não articulação política e ver parte da sua base conversando com a oposição, Zé Ailton deu o tom para retomar o comando do processo de sua sucessão. Ainda no dia 31 de janeiro, o prefeito esteve reunido com o presidente da Câmara, Florisval Coriolano (PRTB), pré-candidato a prefeito. Também se reuniu com o promotor aposentado Leitão Moura (Cidadania), que é pré-candidato. Nos dois encontros, postados nas redes sociais, Zé Ailton fez questão de exaltar a busca por “parcerias” para “fortalecer a cidade”, por meio da “união e diálogo”. Nas duas reuniões, foram tratados debates de projetos importantes para o Município. A retomada de Zé Ailton junto a sua base incluiu, ainda, um encontro com o petista Pedro Lobo. Depois de ter traído José Guimarães, o prefeito disse aos mais próximos que Pedro pode ficar à vontade para continuar se articulando com a oposição. Para Zé Ailton, o vereador tem o direito de escolher seu lado. Pedro Lobo deve estar atento para não ficar isolado e nem ser de confiança no Governo, e nem na oposição.

LINKS PATROCINADOS