Sete dias por semana sem medo da notícia!
Burocracia e falta de informação nas agências do INSS atrapalham beneficiários
Servidores criticam medida que prevê contratação de militares para auxiliar trabalho
Ouça a matéria

Com uma fila de quase 2 milhões de pedidos de benefícios, dos quais 1,3 milhão aguardam há mais de 45 dias por uma respota, o atendimento nos postos do INSS em todo o país vai receber nos próximos dias o trabalho de militares da reserva para auxiliar o trabalho de servidores.

Diferente do que acontecia no extinto Instituto Nacional de Previdência Social do Brasil (INPS), a fila de pessoas à procura de atendimento nos postos da Previdência não dobra esquina, mas as agências têm muitos segurados que sofrem para conseguir orientações adequadas para solucionar seus problemas, revela o jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com o Correio Braziliense, a situação também prejudica os servidores da autarquia, que, há anos, pedem reforços ao governo. Agora, mesmo com a ajuda dos 7 mil militares no atendimento das agências, conforme o anunciado pelo governo, a percepção geral dos servidores, no entanto, é de que a medida não é suficiente.

Agendamento telefone e internet

O atendimento telefônico via 135 é gratuito apenas para ligações feitas de telefones fixos. Quem liga de celular tem que pagar o custo de uma chamada local, e isso acaba restringindo o acesso da população mais carente, ressalta a Folha de S. Paulo.

A plataforma Meu INSS (meu.inss.gov.br) oferece uma série de serviços que podem ser feitos de forma remota. O site, no entanto, pode ser um obstáculo para quem não tem familiaridade com a internet.

Mesmo quem sabe asar a internet ou o aplicativo do INSS não escapa do labirinto de atendimento dentro das agências, acumulando idas e vindas ao órgão.

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também