Sete dias por semana sem medo da notícia!
Bombeiros retiram materiais em busca de localizar mais sobreviventes da tragédia
O trabalho de busca já dura 24 horas e bombeiros lutam agora contra o tempo
A operação envolve também voluntários em apoio aos bombeiros militares

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar reiniciaram, agora há pouco, o trabalho de escavação e retirada de materiais nos escombros do Edifício Andréia, localizado no bairro Dionísio Torres, área nobre de Fortaleza, que desabou na manhã da terça-feira (15). 

Dois mortos e nove desaparecidos, além de nove pessoas resgatadas, é o saldo da operação que já dura cerca de      24 horas. O trabalho conta com o reforço de bombeiros voluntários, capazes de Secretarias Executivas Regionais (SERs) e alunos do Curso de Formação de Bombeiros da Academia Estadual da Segurança Pública (Aesp).

A retirada de materiais está sendo feita de forma manual, para evitar que haja novos desabamentos sobre as pessoas que ainda podem estar vivas em meio aos escombros do prédio. Máquinas estão sendo utilizadas para cortar ferros e vigas e permitir que as equipes do Núcleo de Busca e Salvamento Major Rosana Buson (NBS) consigam entrar em locais de difícil acesso onde podem estar sobreviventes ou corpos de pessoas mortas no acidente.

Ainda na noite de ontem, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Eduardo Holanda, confirmou a morte de um homem que, no momento do desabamento, se encontrava descarregando de um caminhão garrafões d’água em um mercadinho localizado em frente ao condomínio. O homem morto foi identificado por Frederickson Santana dos Santos, 30 anos. Já na manhã de hoje, veio a confirmação da localização do corpo de uma mulher. O cadáver, porém, ainda não foi retirado do local pois os bombeiros encontram dificuldades de chegar até ele.

Agora há pouco, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, esteve novamente no local do desastre e acompanha o trabalho de buscas nos escombros do edifício.

Veja

*Vídeo do G1

Publicidade
Mais Lidas
Leia Também