sete dias sem medo da notícia
Avanço de taxas de homicídios pode fazer governo realinhar metas do “Ceará Pacífico”
O Batalhão Raio deverá ser ampliado em Fortaleza e na região Metropolitana em breve
Por : Redação CN7
30/06/17 13:13

E, finalmente, junho acabou. Um mês que deve ser esquecido pelas autoridades da Segurança Pública. Um pesadelo para o governo e luto para dezenas de famílias cearenses.  Em 30 dias, mais de 450 pessoas foram assassinadas no estado, numa prova inequívoca de que o programa “Pacto pelo Ceará Pacífico” desandou. É hora de realinhar as metas e reformular as estratégias, se é que elas existem.

As operações e intervenções policiais são pontuais. Não há efetivo policial nas delegacias suficiente para tocar os inquéritos e indiciar os criminosos. Não há delegados suficientes para comandar investigações. Bastou o pacto entre as facções ser rompido para que as taxas dos Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLI) voltassem à estratosfera. A explosão de assassinatos no Ceará merece agora uma reflexão por parte do governo. A impunidade dos assassinos e a conseqüente reincidência tem uma razão: a não responsabilização penal.  A Polícia Judiciária cearense não está conseguindo atender à demanda de tantos crimes. Então, é hora de reerguer a instituição. Chegou o momento!!

APOSENTADORIA PREMIADA

Saiu na Imprensa: juiz de Direito cearense, investigado pela Polícia Federal por suspeita de participar de esquema criminoso, pede aposentadoria. Parece mentira, mas é verdade. Nos tempos de delação premiada para livrar bandidos da cadeia (leia-se os irmãos Batista, da JBS), no Judiciário há a “aposentadoria premiada”. O magistrado se envolve em falcatruas recebe como punição a aposentadoria. Na “Operação Expresso 150”, o juiz Jose Edmilson de Oliveira, que era titular da 5ª Vara Cível de Fortaleza, foi apontado como envolvido na investigação que trata de venda de sentenças e liminares. Seu gabinete no Fórum Clóvis Beviláqua foi, recentemente, devassado pela PF. Agora, ele pede a aposentadoria. Outro juiz também investigado pelo mesmo fato, Onildo Pereira da Silva, da 4ª Vara Cível, foi mais rápido e sua aposentadoria já está homologada. No Diário da Justiça o processo foi publicado. Vai receber por mês R$ 28,9 mil.

SERTÃO ABANDONADO

O Interior cearense sofre com a falta de aparato de Segurança. Com mais de 80 delegacias sem delegados, o remédio que a instituição encontrou foi fazer os profissionais acumularem funções. Delegados que respondem por até quatro delegacias em cidades de várias regiões.  Plantões só acontecem em 10 das 19 delegacias regionais.  As demais fecham as portas nas noites dos dias úteis e durante os fins de semana e feriados. Registrar um Boletim de Ocorrência (B.O.) no Interior muitas vezes leva o cidadão a ter que viajar por centenas de quilômetros até encontrar uma delegacia aberta.  Cerca de 20 cidades tiveram seus bancos explodidos e a população ficou com o prejuízo. Roubo de cargas, de animais, de motos, assaltos diários em lojas, postos de combustíveis, ônibus e até em escolas viraram uma rotina no sertão do Ceará.

EXEMPLO DE ITAREMA

A importância de uma investigação criminal bem feita ficou demonstrada nesta semana que termina. Um simples Boletim de Ocorrência (B.O.) foi o suficiente para que uma quadrilha montada dentro da Câmara Municipal de Itarema (a 210Km de Fortaleza) acabasse desarticulada e presa. Vereadores fraudavam contratos de contratação de funcionários para embolsar o dinheiro público. Uma cidadã descobriu que seu nome tinha sido usado indevidamente na falcatrua e fez o B.O.  A Polícia Civil passou a investigar o caso e acabou descobrindo o esquema. Está aí a prova de que uma boa investigação, iniciada de um simples registro policial, pode chegar ao crime organizado.  Dos 13 vereadores de Itarema, oito estão atrás das grades.

CONCURSO BOMBANDO

Até o fim deste ano, mil novos agentes penitenciários vão reforçar a segurança interna e externa dos presídios cearenses. O concurso para o preenchimento das vagas já foi anunciado pelo governador Camilo Santana e  aprovado pela Assembleia Legislativa. O corre-corre aos cursos preparatórios está a pleno vapor em Fortaleza.  O edital ainda não saiu, mas já há possibilidade de recursos judiciais, pois pessoas deficientes têm o direito de participar do concurso e, a princípio, estariam de fora do certame. Recursos à vista.

ASSASSINATOS MÚLTIPLOS

Neste mês de junho, um  fato chamou a atenção das autoridades policiais: a quantidade de homicídios múltiplos, isto é, aqueles em que mais de uma pessoa são mortas de uma só vez. Entre os dias 1º e 29, o Ceará registrou 15 duplos assassinatos. Teve também o registro de dois triplos, um quádruplo, um quíntuplo e um sêxtuplo. No total, 51 vítimas. Ocorreram duas chacinas na Região Metropolitana de Fortaleza. Uma com seis mortos, no Porto das Dunas, em Aquiraz. A outra, em Horizonte, com cinco vítimas. Também em Aquiraz, na comunidade Tapera, a Polícia Civil matou quatro pessoas de uma só vez e informa que evitou uma terceira chacina. ????

UM ANO DA TRAGÉDIA

Nesta sexta-feira, completa um ano do assassinato covarde de três policiais militares em serviço no Interior do Ceará. Era a tarde do dia 30 de junho de 2016 quando uma patrulha da PM foi metralhada por assaltantes de bancos e carros-fortes no Município de Quixadá, no Sertão Central. Outro militar  foi baleado com tiro de fuzil, e mais dois sequestrados na própria viatura em que trabalhavam.  O sargento Francisco Guanabara Filho, o cabo Antônio Joel de Oliveira Pinto e o soldado Antônio Alves Filho acabaram mortos no Distrito de Juatama. A quadrilha foi identificada após uma longa investigação da Polícia Civil. Mas os “cabeças” do bando continuam foragidos.

E TEM MAIS:

*Moradores da cidade de Pindoretama, na Região Metropolitana de Fortaleza, pedem socorro à Polícia. Os assaltos estão infernizando aquela comunidade. Diariamente, estudantes, comerciantes, motoristas e outros  profissionais são atacados por marginais armados em motocicletas. Hora de uma reação das autoridades.

* Quem também faz apelo por segurança são os comerciantes e moradores do bairro Monte Castelo, em Fortaleza. Nas proximidades da Igreja da Mãe Rainha, bandidos fazem “arrastões” diariamente e fogem em motocicletas em direção às avenidas Bezerra de Menezes e Sargento Hermínio. Em contato com  a coluna Sirene Aberta, eles perguntaram: Cadê o Raio???

*Com as altas taxas de homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte os servidores da Segurança Pública também têm prejuízo financeiro, pois as metas de redução dos CVLIs  não são alcançadas nas Áreas Integradas de Segurança (AIS). Dói no bolso já que os salários são pífios.

* Parece até que já não bastam as cenas animalescas de “torcidas organizadas” em Fortaleza por ocasião de jogos na Arena Castelão e no “velho” PV.  Na Assembleia Legislativa tramita um projeto de lei para liberar a venda de bebidas alcoólicas nos estádios locais.  E tem deputado defendendo a aprovação. O nome disso? Irresponsabilidade.

 

 

 

LINKS PATROCINADOS