sete dias sem medo da notícia
ASSOF-CE repudia repercussão negativa de PM que apontou arma para jornalista
Tenente Leitão, da PM de Sobral, aponta arma para a cabeça do repórter Wellington Macedo
Por : Redação CN7
21/09/17 8:40

A Associação dos Oficiais da Policia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (ASSOF-CE) emitiu nota de repúdio, na noite de quarta-feira (20), contra o repórter Wellington Macedo, que denunciou o tenente Leitão, da PM de Sobral, após ter uma arma apontada para a cabeça enquanto fazia matéria, na terça-feira (19), em frente à Santa Casa.

Confira a nota de repúdio da ASSOF-CE

A Associação dos Oficiais da Policia Militar e do do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará – ASSOF vem a público repudiar veementemente, com absoluta indignação, as insensatas e injuriosas declarações proferidas pelo senhor Wellington Macedo de Souza, em vídeo por ele publicado nas redes sociais, no dia 19 de setembro de 2017, contra os Oficiais da Polícia Militar do Ceará,o Tenente Coronel PM Marcos e Primeiro Tenente PM Leitão, em face de ação policial militar por esses desencadeada na cidade de Sobral- CE.

DOS FATOS

Antes de mencionar e comentar as declarações deste senhor, faz-se imperioso expor a dinâmica dos fatos que compuseram o evento em tela.

Conforme boletim de ocorrência registrado na Delegacia Regional de Sobral/CE, pelo Tenente PM Leitão, no dia e horário dos fatos houve um acidente na Cidade de Santa Quitéria/CE, envolvendo 22(vinte e duas) vítimas em estado grave, que necessitavam de atendimento de urgência na Santa Casa de Sobral e para lá estavam sendo transportadas.

Em situações críticas dessa magnitude o fator tempo é preponderante nos protocolos de atendimento pré-hospitalar, podendo ser a diferença entre a vida ou a morte das pessoas vitimadas pelo sinistro, no caso em tela 04(quatro) ambulâncias se revezaram no transporte dos acidentados, protagonizando várias idas e vindas até que todos pudessem ter o devido atendimento médico.

Impende destacar que naquele momento coube a Policia Militar a desobstrução das vias com o objetivo de facilitar o deslocamento em tempo hábil das ambulâncias até o mencionado hospital, e para isso foi necessário que algumas ruas no entorno da Santa Casa de Sobral fossem bloqueadas para o trânsito de pessoas e veículos e assim a prestação de serviços médicos pudesse ser eficazmente desenvolvida.

Por diversas vezes, foi solicitado pela Policia Militar ao senhor ora repudiado que saísse do centro das vias por onde se daria a passagem das ambulâncias em atendimento das vítimas acidentadas, entretanto o referido cidadão não colaborava e insistia em permanecer fisicamente nas ruas que serviam de escoamento de tráfego das viaturas de socorro, dificultando o atendimento dos acidentados.

Cabe a Policia Militar a manutenção da ordem pública e a salvaguarda dos bens jurídicos mais importantes da sociedade: a vida, a integridade física e o patrimônio das pessoas!

Trazido à lume a realidade dos fatos, passamos a análise das infelizes palavras contidas no vazio discurso desse senhor que se apresenta como repórter, sem, no entanto, mencionar a qual órgão de imprensa está vinculado, e destacamos o seguinte:

DAS DECLARAÇÕES

“Oficiais da Polícia Militar do Ceará recém-formados apresentam distúrbios e despreparo nas abordagens e manuseio nas armas de fogo.”

Baseado em qual doutrina de atendimento de ocorrências policiais se vale esse senhor para fazer tais comentários? Que distúrbios são esses aos quais ele se refere? Porventura não haveria distúrbio maior em atrapalhar o atendimento de vítimas de acidente? Qual preparo para o exercício da cidadania tem quem se coloca fisicamente no trajeto de viaturas de socorro, dificultando o deslocamento destas quanto em atendimento?

“Na noite dessa última terça-feira(19) o Tenente Leitão, juntamente com o Coronel Marcos tentaram proibir o trabalho da imprensa durante a chegada vítimas de um acidente na emergência da Santa Casa de Sobral.”

No momento do atendimento de ocorrências da magnitude aqui mencionada qual bem jurídico deve priorizar a Polícia Militar? A vida e a integridade física das pessoas acidentadas ou o “furo de reportagem” tão violentamente perseguido pelo repudiado?

“O Oficial Leitão que nunca foi um Soldado e entrou na Policia através de concurso faz parte da última turma de tenentes que foi preparado nas coxas.”

Ter sido Soldado não é requisito para investidura no Cargo Público de Oficial das instituições militares! É notório que o senhor Wellington desconhece o Art.37 da Constituição Federal de 1988, no qual se preconiza que o Cargo Público efetivo somente se preenche através de corcurso público de provas ou de provas e títulos, e este é o caso do Cargo Público de Oficial da Polícia Militar do Ceará, Carreira de Estado de nível superior!

Após aprovada na primeira fase do concurso público, que exige nível superior, esta turma de oficiais ora ofendida, realizou etapas que julgaram seu preparo físico, psicológico e sua saúde, além disso, foram formados num Curso de Formação de Oficiais, com mais de 2.700 (duas mil e setecentas) horas-aula de duração – o que totaliza muito mais que várias graduações -, com disciplinas teóricas e práticas, tendo enfrentado, ao final, mais de 21 (vinte e uma) etapas de caráter eliminatório, para que, então, o cargo almejado fosse conseguido. O curso, oferecido pela Academia Estadual de Segurança Pública, engloba todos os aspectos da carreira, como a atuação policial, armamento, educação física, direitos humanos, ética. Sendo, atualmente, a carreira de Estado com a formação mais complexa em termos de duração, do que deve oferecer e no que os militares devem obter êxito. Por isso, discordamos das afirmações sem qualquer base e conhecimento de causa, que mal se prestam a ser ofensivas.

“Se esse psicopata fardado tratou um jornalista na frente das câmeras assim, imagine você, o que um indivíduo desse faz com o povo na periferia.”

Indiscutivelmente um comentário que desafia a devida ação judicial!

“Tenente Leitão você é o fruto, o símbolo de um Estado falido e sem respaldo, que não trata a Segurança Publica com prioridade!”

Aqui, como no outro comentário, há um claro vilipêndio a honra e a dignidade de um ser humano Oficial da Polícia Militar do Ceará, uma ofensa inaceitável e descabida!

A ASSOF manifesta seu apoio aos Oficiais da Polícia Militar do Ceará covardemente atacados e não aceitará jamais tamanha ofensa a dignidade e a honra destes! Tampouco assistirá inerte a tentativa de denegrir a imagem de uma Corporação Militar que defende a sociedade cearense a quase dois séculos, composta de homens e mulheres que 24(vinte e quatro) horas por dia, 07(sete) dias por semana, colocam a vida em risco para em prol da coletividade.

Através de seu jurídico a ASSOF tomará as medidas judiciais que o caso requer!

Fortaleza, 20 de setembro de 2017.

Diretoria da ASSOF

LINKS PATROCINADOS