Hidrogenio verde e o combustivel do futuro
eusebio junino

André nega que executiva nacional vá acatar carta de anuência dada a Evandro

Deputado afirmou que o PDT vai judicializar o caso

(Foto: Renato Araújo/Câmara dos Deputados)

01/09/23 17:39

O presidente nacional interino do PDT, André Figueiredo, afirmou, nesta sexta-feira (1º), que a executiva nacional do partido não vai acatar a carta de anuência dada pelo Diretório Estadual ao presidente da Assembleia Legislativa do Ceará (Alece), Evandro Leitão. O deputado federal disse, ainda, que o partido precisa de “paz”, mas que caso isso não aconteça, vai antecipar seu retorno à presidência estadual do PDT. As declarações foram dadas com exclusividade ao repórter Levi Sampaio, da Plus FM Crateús.

Participe do grupo do CN7 no WhatsApp

“Existe uma deliberação nacional proibindo qualquer carta de anuência, foi dada uma carta de anuência, e o jurídico do PDT nacional está tomando as providências (…) nós não temos condições de dar carta de anuência para quem foi eleito pelo PDT. Existe uma deliberação nacional estatutária e uma vedação expressa em uma resolução do Diretório Nacional (…) Não é verdade, que o PDT não irá judicializar. O PDT vai judicializar qualquer processo de desfiliação de quem tem mandato eleito pelo nosso partido”, explicou.

Inscreva-se no canal do CN7 no Telegram

André Figueiredo relembrou que pode reassumir a presidência estadual do PDT “à qualquer momento”, destacando que não renunciou a presidência, apenas se licenciou. “O senador Cid Gomes veio para pacificar. Ele é a maior liderança do PDT no Ceará e isso eu nunca quis concorrer (…) mas o PDT precisa ter paz. Se não tiver paz, a gente retorna para a presidência do partido antes mesmo do final do ano”, afirmou.

Assista ao vídeo:

LINKS PATROCINADOS