sete dias sem medo da notícia
Rebateu
Em nota, Guilherme Bismarck acusa a vice-prefeita de Aracati de homofobia
O pré-candidato à deputado estadual publicou uma nota nesta segunda-feira
Guilherme Bismarck é filho do prefeito de Aracati, Bismarck Maia. (Foto: reprodução/Facebook)
Por : Redação CN7
13/06/22 20:25

O pré-candidato a deputado estadual, Guilherme Bismarck (PDT), publicou uma nota na noite desta segunda-feira (13) se defendendo das acusações da vice-prefeita de Aracati, Denise Menezes (PT). O pedetista afirmou que foi vítima de homofobia por parte da petista.

Em uma longa nota publicada no Facebook, Guilherme Bismarck relatou que estava em um bar, quando foi cumprimentado, segundo ele, com “despezo” e “chacota” pela vice-prefeita e pelo marido da gestora municipal, Valdy Menezes. O fato teria ocorrido na última quinta-feira, 9 de junho.

“Sou Gay, e todos sabem da agressões e piadas que recebemos diariamente”, escreveu Guilherme Bismarck em um trecho da nota. O pré-candidato a deputado estadual lamentou o ocorrido e disse que a vice-prefeita Denise agiu com “crueldade”.

Leia a nota completa:

HOMOFOBIA NÃO PASSARÁ.
Detalhes sobre o ocorrido na última quinta-feira, em um restaurante em Aracati.

1) Há 5 anos morando no Aracati, jamais ofendi ninguém, mesmo tendo sofrido tantas e repetidas agressões, nas mídias sociais em radio local, e várias delas envolvendo todo tipo de questões, as mais duras de caráter pessoal. Mas na última quinta -feira passou dos limites. E eu explico:

2) Há alguns dias, no início de Maio, numa sexta-feira, fui intensamente agredido e ameaçado por meio de um áudio HOMOFÓBICO que circulou em todos os grupos de WhatsApp do Aracati, com forte repercussão na mídia estadual, no dia seguinte e por vários dias. Isto me fez acionar judicialmente o autor desse áudio, junto à justiça Civil, Criminal e perante ao MPCE; Processo em andamento.

3) O autor do áudio foi um cidadão, Alvacy, proprietário de um restaurante na cidade, que por conta dessas graves agressões e ameaças a mim, foi repelido e reprovado pela ampla maioria da população. Suas mesas ficaram vazias nos dias seguintes a tais ofensas a mim. Eu sequer o respondi.

4) A pré-candidata a Dep. Estadual Denise Menezes, do PT, que aliás nem mora em Aracati, chegando para passar o seu primeiro final de semana na cidade após a divulgação do áudio, sexta seguinte dia 13/5, foi direto ao esvaziado restaurante desse cidadão, acompanhada da vereadora Raimunda Lúcia, do PT, e seus assessores, postando fotos em clara comemoração e apoio ao HOMOFÓBICO dono do restaurante. Vale ressaltar que ela foi a ÚNICA pessoa a declarar apoio ao agressor naquela ocasião.

5) Quem apoia criminoso, criminoso é. Qualquer ato de discriminação e preconceito de cor, gênero, religião deve ser veementemente rechaçado. E serão por mim! Homofobia É CRIME. Ela conhece as bandeiras de seu partido, da política, e da atualidade em que vivemos, bem deveria saber do crime que cometeu;

6) Por 5 anos como chefe da Casa Civil de Aracati, mantive uma relação de verdadeiro carinho pela Denise, mesmo encontrando com ela somente às sextas-feiras. Se em ocasiões não pude lhe atender em reinvindicações, foi apenas baseados na orientação de priorizar os mais humildes e não aos interesses pessoais, no respeito ao patrimônio público, a moral e ao dinheiro do povo;

7) De volta a “foto e postagem” no restaurante: Ao acordar, vejo aquela que tanto tinha como de boa índole, Denise Menezes, que supostamente seria defensora da causa LGBTQIA+, de maneira OPORTUNA, e visando apenas seu projeto político pessoal, prestar apoio a um HOMOFÓBICO. Ver a Denise aos sorrisos naquele cenário, apoiando e reciprocamente sendo apoiada, abraçando um homofóbico que acabava de me ofender publicamente, me machucou profundamente. Repito: quem apoia HOMOFÓBICO, HOMOFÓBICO É! Não tem variável. Esse ato da Denise me feriu profundamente a alma. Repito: como suportar aquele ato de alguém por quem tinha estima e admiração? Aliás, não conheço sequer uma pessoa na cidade a apoiar aquele ato HOMOFÓBICO como fez Denise e os seus.

8) Na noite de quinta-feira, 9 de junho, estava num Bar da cidade, quando por mim passam a Denise, seu marido Valdy, mais um casal e a vereadora Raimunda Lucia, a mesma que estava sorrindo ao lado do homofóbico dias antes na foto/postagem. Era a primeira vez que a via pessoalmente e que nos encontrávamos após a famigerada foto de apoio ao responsável pelo áudio. Passam por minha mesa e me cumprimentam com claro ato de desprezo e chacota. Queria eu que não tivesse sido cumprimentado. Foi muita desfaçatez e uma clara provocação.

9) Peço perdão a todos, mas não sou de ferro, e a dor que passei pelo áudio e em seguida pela foto, só quem sente na pele o preconceito velado é capaz de imaginar. Sou Gay, e todos sabem da agressões e piadas que recebemos diariamente e pior, de quanto é dolorido quando isso vem de pessoas que chegamos a amar, que são de nosso convívio. Ela foi de uma crueldade desnecessária, ainda mais porque tinha carinho por ela, que frequentava minha casa. Assim aconteceu: fazendo um gesto político seguido de outro, sendo irônica na minha cara, ouviram de mim todos esses do grupo um reprovável:

“Vai tomar no c*, homofóbica!”

Em seguida, todos adentraram à parte interna do bar.

10) Na saída do grupo, quando pareciam indo embora, seu marido, Valdy Menezes, igualmente apoiador do HOMOFÓBICO, igualmente esquerda da-boca-pra-fora, diz a seguinte frase em alto e bom som:

-“Quem tem que tomar no c, é quem gosta de tomar no c”

HOMOFOBIA PURA!!!

Se acertaram dentro do bar essa conduta tendo o Valdy como porta voz, o grupo comprova de fato o que a Denise já demonstrou: homofobia.

11) Pois bem, casal Menezes, uma foto apoiando homofóbico e uma acusação dessas, claramente pejorativa, irônica, ofensiva a toda uma população e classe LGBTQIA+, não condizem em nada com suas posturas de fachada, sorridentes, ou caras de bravos e sérios em vídeos e fotos contra preconceitos, ataques às minorias, etc… tudo MENTIRA..

12) Acabou essa velha política do falso-sorridente, do tapinha nas costas, dos defensores de faz de conta de bandeiras importantes e sérias como a causa LGBTQIA+. Vocês não irão se aproveitar de uma discussão como esta para me colocar contra quem quer que seja, principalmente às mulheres aracatienses. Nós, que somos sim LGBTQIA+ temos mães, irmãs e grandes amigas mulheres que nos acolhem diariamente em nossos sofrimentos pelas agressões que não param de acontecer, concretas, disfarçadas em gozações como a frase proferida pelo Sr. Valdy. O que seria de todos nós LGBTQIA+ se não fossem nossas mulheres mães, irmãs, amigas, a nos confortarem e nos acolherem quando o preconceito se manifesta na nossa frente?! Não Denise, você definitivamente não pertence a esse mundo, nada sabe sobre Neumas, Janetes, Marias, Cristinas, Joanas, Josefas, Auxiliadoras, Beneditas, e Glaucias que vivem a segurar nossa “onda”, ESSA ONDA QUE ME DESTRUIU O CORACAO E A MENTE DESDE SEU APOIO A HOMOFOBIA, APOIO AO HOMOFÓBICO DO ÁUDIO.

A COMUNIDADE LGBTQIA+ é agredida todos os dias, sofre violência, preconceitos, discriminações, e já está mais do que na hora de mudarmos essa realidade. Só quem sente na pele esse tipo de violência, como eu sinto, é capaz de compreender o quanto isso nos deixa indignados. A Homofobia não é apenas uma manifestação da intolerância, não é apenas um gerador de desconforto para quem sofre seus efeitos, ela gera consequências materiais todos os dias. São agressões físicas, violência sexual, estupros e assassinatos. Uma atitude dessa natureza, vinda de pessoas públicas, não pode ficar em vão.

13) Ainda no mês de Maio, já representei contra a senhora Denise Menezes junto ao Conselho de ÉTICA do Partido dos Trabalhadores-PT, (já em instância superior) partido que tenho muito respeito por sua história de grandes lutas, principalmente em apoio a LGBTQIA+. Nem sobre a denúncia que fiz contra Denise, nem sobre os 4 processos contra o Alvacy, autor do audio eu trouxe a publico nem muito menos fiz video me vitimizando.

Representarei também contra o Sr. Valdy neste mesmo Conselho e também junto também perante a Justiça, civil e criminal, bem como junto ao MPCE, por sua repito, doída frase direcionada a mim (com muitas testemunhas) quando na verdade mostrou ao mundo a visão desse casal sobre a comunidade LGBTQIA+.

Foram 13 os tópicos deste texto, para lembrar que vocês dois, e muitos dos seus, não merecem tal legenda. Fico a imaginar essas atitudes do casal, testemunhada por vários também de seus assessores, sendo analisadas por líderes políticos sérios e honrados do Partido dos Trabalhadores, como a companheira Luizianne Lins e tantas outras e outros de brava luta em defesa da dignidade, do respeito e contra a perseguição e agressões a pessoas do Grupo LGBTQIA+. Homofóbicos, como vocês, não passarão.

Relembre o caso:

LINKS PATROCINADOS