sete dias sem medo da notícia
Tragédia histórica
11 de setembro: atentado terrorista contra os Estados Unidos completa 20 anos
Foram quase três mil vítimas de pessoas oriundas de mais de 70 países
(Foto: especial/CN7)
Por : Redação CN7
11/09/21 8:46

O dia em que o mundo jamais irá esquecer: 11 de setembro de 2001. Neste sábado (11), o maior ataque terrorista da história dos Estados Unidos completa 20 anos. Na manhã daquele dia, dezenove terroristas sequestraram quatro aviões comerciais de passageiros. Os terroristas colidiram intencionalmente dois dos aviões contra as Torres Gêmeas, localizadas no complexo empresarial do World Trade Center, na cidade de Nova York, matando todos os passageiros à bordo, além de milhares de pessoas que trabalhavam no local.

Menos de uma hora após a primeira colisão, o terceiro avião de passageiros colidiu contra o Pentágono, a sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, no Condado de Arlington, Virgínia, nos arredores de Washington, D.C. Pouco mais de meia hora depois, foi a vez do quarto avião cair em um campo aberto próximo de Shanksville, na Pensilvânia, depois que alguns de seus passageiros e tripulantes retomaram o controle da aeronave dos sequestradores que levavam o avião rumo à capital dos Estados Unidos. Não houve sobreviventes em qualquer um dos voos. O ataque interrompeu a vida de 2.996 pessoas, incluindo os 227 civis e os 20 sequestradores a bordo dos aviões. Entre as quase três mil vítimas, haviam cidadãos de mais de 70 países.

O ataque foi planejado e executado por terroristas da Al-Qaeda. Os principais responsáveis por arquitetar os atentados foram Khalid Sheikh Mohammed e Osama Bin Laden. A ideia inicial foi apresentada por Sheikh Mohammed a Bin Laden no ano de 1996. No entanto, foi apenas entre o fim de 1998 e início de 1999 que Bin Laden deu a aprovação para Mohammed avançar com a organização dos ataques. Um terceiro homem, Mohammed Atef, prestou apoio operacional para o projeto, incluindo seleções de destino e ajuda na organização de viagens para os sequestradores. A parte financeira e a seleção de participantes foram de responsabilidade de Bin Laden.

Os rumos dos aviões

  • Voo 11 da American Airlines

O Voo 11 da American Airlines deixou o Aeroporto de Boston às 07h59 com rota inicial para Los Angeles e uma tripulação de 11 membros e outros 76 passageiros. Os cinco terroristas, presentes no voo, colidiram o avião contra a Torre Norte do World Trade Center às 08h46.

  • Voo 175 da United Airlines

O Voo 175 da United Airlines deixou o Aeroporto de Boston às 08h14 com rota inicial para Los Angeles. Haviam 9 membros na tripulação e 51 passageiros. Os cinco terroristas, presentes no voo, colidiram o avião contra a Torre Sul do World Trade Center às 09h03.

  • Voo 77 da American Airlines

O Voo 77 da American Airlines deixou o Aeroporto Internacional Washington Dulles, na Virgínia, às 08h20, e tinha como rota a cidade de Los Angeles. Haviam 6 membros e outros 53 passageiros. Os cinco terroristas, presentes no voo, colidiram o avião contra o Pentágono às 09h37.

  • Voo 93 da United Airlines

O Voo 93 da United Airlines deixou o Aeroporto Internacional de Newark às 08h42 com rota inicial para São Francisco. A tripulação era composta por 7 membros, além de outros 33 passageiros. No entanto, o destino final terminou bem diferente da ideia dos quatro sequestradores. Os passageiros se rebelaram e os terroristas derrubaram o avião no chão, perto de Shanksville, na Pensilvânia, às 10h03.

Os motivos do atentado

Os motivos alegados pelo grupo terrorista Al-Qaeda para o atentado terrorista contra os Estados Unidos, foram: a presença americana na Arábia Saudita, o apoio a Israel por parte dos EUA e as sanções contra o Iraque.

A resposta dos EUA

O ataque terrorista de 11 de setembro não ficou impune. O então presidente norte-americano, George W. Bush, mandou uma resposta imediata atacante, primeiramente, o regime talibã que protegia a rede terrorista comandada por Osama Bin Laden. No dia 7 de outubro daquele mesmo ano, o exército dos EUA iniciou uma ofensiva militar contra o Afeganistão em uma ação que contou com o apoio de governos de 56 países.

Em março de 2003, um novo ataque. O exército dos EUA bombardearam Bagdá, capital do Iraque, deflagrando mais uma guerra no Golfo Pérsico. O motivo alegado, na época, foi a busca por armas de destruição em massa. Porém, o objetivo principal era a captura do ditador Saddam Hussein, que foi encontrado e preso no dia 13 de dezembro de 2003. Saddam foi acusado de violação de direitos humanos e condenado à morte por um tribunal especial iraquiano.

A cartada final aconteceu em maio de 2011, quase uma década depois dos atentados, quando o sucessor de George Bush, Barack Obama, anunciou a morte de Osama Bin Laden. O terrorista fora encontrado num esconderijo a 100 quilômetros de Islamabad, capital do Paquistão.

Acusados ainda não foram condenados

Preso no Paquistão em 2003, o homem apontado como mentor dos ataques, Khalid Sheikh Mohammed, e outros quatro suspeitos ainda foram condenados pelo atentado contra as torres gêmeas. Eles estão presos em uma base norte-americana de Guantánamo, em Cuba.

LINKS PATROCINADOS